in

Criança de 5 anos tem queimadura de 2º grau após explosão do celular; caso serve de alerta aos pais

A mãe revelou o drama e contou que passou por um verdadeiro pesadelo com a filha de apenas 5 anos.

Reprodução: UOL
Publicidade

Uma mãe passou momentos de apuro ao lado da filha de apenas cinco anos. Liliane Cristina Rodrigues Pissaia, de 37 anos, contou sobre o pesadelo que viveu com a criança. De acordo com a mulher, ela estava na lavanderia quando escutou um barulho muito forte vindo da sala. Ao chegar ao local, notou que a filha Elisa estava em chamas.

“Parecia o barulho de um tiro”, contou a mãe. O acidente aconteceu depois que a filha pegou o celular de Liliane para poder jogar enquanto o aparelho estava carregando. Pouco depois, o telefone acabou explodindo. Ela disse que já tinha alguns dias que havia percebido que o telefone estava apresentando defeitos.

O aparelho já não estava carregando direito e costumava até mesmo desligar sozinho. Mesmo após ter passado por troca de baterias, continuou com mau funcionamento. Contudo, o que ela não imaginava era que pudesse acontecer uma tragédia. A menina, que tinha o costume de pegar o celular da mãe para poder brincar, não tinha o hábito de mexer nele estava carregava,. Contudo, naquele dia acabou desobedecendo à orientação da mãe.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Infelizmente, o aparelho acabou explodindo na criança quando ela foi pegar para jogar. Elisa acabou sofrendo graves queimaduras nos dois braços, nas duas pernas e também na região do tórax, além de ter sofrido lesões nas narinas e nos lábios. A mulher contou que a menina estava usando uma fantasia de bailarina, que pegou fogo rapidamente e chegou a atingir até os cabelos. 

A família levou a pequena às pressas para o hospital e os médicos puderam constatar que Elisa havia sofrido queimaduras de 2º grau. “Ela tomou as medicações, mas ainda sentia muita dor”, desabafou a mãe. Por causa da Covid-19, a mãe foi orientada a fazer o tratamento em casa, mas como a queimadura do braço estava piorando, ela retornou com a filha ao hospital. A criança foi encaminhada para um hospital especializado em tratamento de queimaduras.

Cuidado com carregadores

O especialista no assunto, o engenheiro Edson Marinho, explicou sobre os riscos de usar celular enquanto está carregando. Ele disse que enquanto está ligado na tomada, o carregador consome muita energia e pode aquecer além do normal, provocando um curto-circuito e, por consequência, um incêndio. O profissional também alerta para evitar deixar o aparelho em locais quentes e abafados, como sofás, camas e debaixo do travesseiro.

Publicidade
Publicidade
Shyrlene Souza

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.