in

Globo vive pior crise de sua história, pode perder Copa do Mundo, e situação é desoladora

Uma tradição mantida desde 1970, a transmissão da Copa do Mundo pela emissora carioca pode estar prestes a ser quebrada.

Globo/Reprodução
Publicidade

De todos os anos, desde a sua fundação, a Rede Globo está vivendo um dos piores momentos de sua existência, acometida por forte crise financeira. Conforme noticiado pelo país, a emissora recorreu às Justiças do Brasil e da Suíça para rever um contrato firmado com a Fifa, de US$ 600 milhões, para ter os direitos de transmissão da Copa do Mundo.

O interesse da emissora carioca é claro: não pagar uma parcela de US$ 90 milhões (cerca de R$ 460 milhões), cujo vencimento acontece nesta terça-feira (30). O imbróglio com a Fifa pode suceder na quebra de uma tradição histórica para os brasileiros. Pela primeira vez, em cinquenta anos, a Copa do Mundo poderá não ser transmitida pela Globo, algo que ocorria desde 1970.

Esta não é a primeira grande crise que a Globo enfrenta. No início dos anos 2000, precisou se remodelar e fazer investimentos bilionários na antiga Globo Cabo e o controle da Net, hoje Claro. Apesar disso, conforme alega o portal Notícias da TV, em consulta com especialistas, a situação de momento é inédita. A emissora cumula a perda de seu prestígio para os serviços concorrentes de streaming, além da queda no número de assinantes de seus canais de TV por assinatura, além da crise sem precedentes provocada pela pandemia do coronavírus, cujo fim é incerto.

Publicidade

De acordo com o balanço contábil da emissora, com relação ao ano de 2019, o fechamento de caixa registrou um superávit de R$ 10,5 bilhões. Tal valor corresponde a 3,3 vezes mais do que o valor devido naquela altura.

Publicidade

Apesar disso, especialistas compreendem o recado dado pela emissora ao recorrer à Justiça pela revisão contratual do acordo com a Fifa. Os diretores estão incertos quanto a capacidade de honrar com os compromissos futuros. “Mesmo que os executivos da Globo equacionem o problema financeiro no curto prazo, a capacidade de adaptação no longo prazo está comprometida”, afirma um experimentado conhecedor do grupo, segundo o Notícias da TV.

Henrique

Escrito por Henrique

Henrique Furtado é um redator com vasta experiência no jornalismo online. Solidificou sua carreira com coberturas marcantes sobre os principais acontecimentos no Brasil e no mundo ao longo da última década. Suas especialidades englobam desde os bastidores da política, versando por esportes, atualidades e, claro, tudo o que acontece no mundo dos famosos. Está sempre ligado para entregar, em primeira mão, as últimas novidades para os seus leitores, 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano.

Contato: henriquefurtado.jornalista@gmail.com