in

Família abre o caixão durante velório e leva susto ao descobrir que idosa com Covid-19 não tinha morrido

Família abre o caixão durante velório e leva susto ao descobrir que idosa com Covid-19 não morreu.

Isto É
Publicidade

Em tempos de pandemia coronavírus, o sistema de saúde do Brasil dá constantemente provas de suas fragilidades, seja com a superlotação, com falta de leitos, como também em erros que chegam a ser impressionantes.

O caso de Maria da Conceição de Oliveira, de 68 anos, é um forte exemplo disso. Enquanto a família da aposentada vivia o luto e se preparava para velar o seu corpo, ela estava no hospital viva. Quando o caixão foi aberto, descobriu-se que o óbito se tratava de outra pessoa.

Após o susto, a família de Maria insistiu na busca pela avó, e a encontrou em um leito do Hospital Abelardo Santos, em Belém, no Pará. Lá ela estava tratando os sintomas do novo coronavírus, mas já vinha em franco processo recuperatório.

Publicidade

Segundo familiares, a idosa apresentou melhoras, e novas tomografias nos pulmões apontaram recuperação dos pulmões. Ela tinha sido dada como morta um dia após dar entrada na unidade de saúde.

Publicidade
Publicidade

A desconfiança

Uma das familiares de Maria, Tallya Fernandes, conta que uma funerária contratada levou o corpo para a casa da família.  Um dos filhos perguntou ao funcionário do local como estava a idosa e ele teria respondido “bata vermelha, cabelos brancos”. 

Essa descrição alertou os familiares, uma vez que Maria não tinha cabelos brancos e não utilizava nenhuma bata vermelha.

 “Foi que o neto dela teve coragem pra abrir o caixão e foi um susto terrível, era uma senhora morena, com tubo na boca”, disse Tallya em entrevista ao G1.

Os familiares de Maria vieram saber que Maria estava viva por intermédio de uma enfermeira, que chegou a fazer uma chamada de vídeo para comprovar que a senhora estava viva. Diante do erro grave do hospital, a família da idosa registrou um boletim de ocorrência contra o hospital.

Os familiares só descobriram que Maria estava viva após receberem a ajuda de uma enfermeira. A funcionária do hospital fez uma chamada de vídeo com a idosa para comprovar que ela estava viva. Segundo a família, foi feito um boletim de ocorrência contra o hospital pelo erro.

Em comunicado enviado ao G1, a Secretaria de Saúde do Pará (Sespa) reconheceu o erro e justificou que a confusão se deu por falta de estrutura no sistema devido ao crescimento exponencial dos casos de coronavírus no estado.

Números no Pará

O estado do Norte do país figura como a quarta região mais afetada pela Covid-19 em solo nacional. De acordo com o último levantamento, o Pará acumula mais de 91 mil infectados pela doença, e 4.726 mortes confirmadas, ficando atrás somente de São Paulo, Rio de Janeiro e Ceará.

O Brasil computa mais de 1,1 milhão de pessoas infectadas e mais de 50 mil óbitos, o número de recuperados, no entanto, já se aproxima de 650 mil pessoas.

Publicidade

Inscreva-se em nosso canal no YouTube e fique por dentro de tudo o que acontece. CLIQUE AQUI

Publicidade