in

Homem que alegava “exorcizar” o coronavírus com beijo morre de Covid-19 e infecta pessoas

O curandeiro realizava cerimônias em que beijava a mão de pessoas infectadas com coronavírus e dizia que exorcizava a doença.

Reprodução: Jornal de Brasília
Publicidade

Diante da pandemia provocada pelo novo coronavírus, surgem muitos boatos e possíveis curas para a doença que, a cada dia, faz inúmeras vítimas em todo o mundo. Ocorre que, ainda não há nenhuma comprovação científica acerca de nenhum medicamento que possa de fato minimizar os efeitos da Covid-19. 

Recentemente ocorreu na Índia um exemplo do que não deve ser feito em meio ao momento de calamidade em que vive o mundo. Segundo informações do Jornal de Brasília e do Extra, um curandeiro que alegava curar as pessoas infectadas pelo coronavírus, realizando uma espécie de exorcismo, foi infectado pela Covid-19 e morreu.

De acordo com as informações obtidas, o homem beijava a mão das pessoas que estavam contaminadas, visando “exorcizar” o vírus. O ritual era praticado em cerimônias, que promoviam a aglomeração de diversas pessoas, contrariando as recomendações da Organização Mundial da Saúde.

Publicidade

O curandeiro testou positivo para a Covid-19 no dia 03 de junho, e veio a falecer no dia seguinte. Pelo fato de ter realizado as cerimônias citados, é estimado que ele tenha infectado cerca de 20 pessoas.

Publicidade

As autoridades indianas conseguiram identificar aproximadamente outros 30 ocultistas que realizam práticas semelhantes à do homem que morreu. Em alguns rituais, eles chegam a soprar água que, logo após, é consumida pelos que estão presentes.

A prática de atividades como as citadas acima contrariam totalmente as recomendações da OMS e nada contribuem para minimizar os efeitos da pandemia mundial, expondo diversas pessoas a perigo de vida.