in

Repórter feita refém na Globo fala pela primeira vez: ‘tive fé’

Marina Araújo foi ameaçada com uma faca e só foi liberada quando Renata Vasconcellos chegou ao local.

Reprodução Globo / Metrópoles
Publicidade

A repórter Marina Araújo é versátil e bastante conhecida pelo público da Globo Rio. Nesta quarta-feira (10), Marina viveu uma situação muito diferente. Na sede da emissora, no bairro Jardim Botânico, zona sul da cidade, ela foi feita refém por um homem que invadiu o local.

O homem, aparentemente perturbado, queria falar com Renata Vasconcellos, apresentadora do Jornal Nacional, e fez Marina de refém. A repórter falou pela primeira vez sobre os momentos em que ficou com uma faca no abdômen. O relato dela chama a atenção.

“Agradeço imensamente pelas mensagens de solidariedade e carinho, depois do episódio de hoje. Me vi em uma situação limite, incontrolável, mas tentei manter a calma. Tive fé. Falei o que podia pra acalmar os ânimos. Contei histórias e deu certo. Ninguém se feriu. Agradeço ao coronel Heitor e a Renata [Vasconcellos]…E todos que ficaram ao meu lado até eu vir pra casa, hoje”, afirmou Marina.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Marina foi liberada pelo homem, após a polícia pedir a presença de Renata Vasconcellos no local. A apresentadora do Jornal Nacional comemorou 48 anos de vida nesta quarta. Ela foi até o local onde o homem fazia Marina de refém. Quando ele viu Renata, largou a faca e se entregou.

A identidade do homem segue ser revelada. Ele está preso. Marina Araújo recebeu apoio de diversos famosos, entre eles o apresentador Luciano Huck. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) também se manifestou sobre o episódio e prestou solidariedade a ela e a Renata em postagem feita em suas redes sociais. 

Publicidade
Publicidade
Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!