in

Placenta: o que é, principais alterações, complicações e a importância para o bebê e a mãe

Podem ocorrer alterações indesejadas durante a gestação, trazendo riscos e complicações.

Divulgação/Pais&Filhos
Publicidade

A ligação entre mãe e filho já começa desde a concepção, mas além do vínculo emocional existe um elo importante e essencial na barriga da mamãe, a placenta. Ela é fundamental para que a gestação transcorra da melhor forma e o bebê possa nascer com saúde. A placenta é responsável pela troca de oxigênio no sangue entre a grávida e o feto, fazendo a retirada das impurezas do sangue, por exemplo. 

Além disso, é extremamente fundamental para o bom desenvolvimento da criança, mas alterações indesejadas podem acontecer durante o período gestacional, podendo provocar sérios danos e complicações entre a mãe e o filho.

A placenta é na verdade um anexo do embrião responsável por realizar as trocas de nutrientes e gases entre o feto e a mãe, atuando assim como um filtro para várias substâncias. Ela também produz hormônios que são responsáveis pela manutenção da gravidez. Isso quer dizer que ela mantem o bebê vivo e saudável dentro do corpo da mulher. Depois de formada, ela se fixa no endométrio, membrana que reveste a parede do útero.

Publicidade

Entre suas principais funções estão o fornecimento de nutrientes e oxigênio para a criança. Também estimula a produção de hormônios gestacionais e atua protegendo o bebê contra os impactos na barriga da mulher. É responsável pela proteção imunológica e eliminação de resíduos, como a urina.

Publicidade
Publicidade

A placenta pode sofrer algumas complicações durante a gestação. As mais comuns é sua localização considerada baixa dentro do útero (chamada de placenta prévia) ou profunda demais na musculatura (chamada de placenta acreta). Também pode ocorrer a falência placentária, problema que faz com que a quantidade de nutrientes necessários não chegue a criança. Neste tipo de situação, o médico precisa acompanhar de perto a evolução da gestação. Calcificações, descolamentos e infecções também podem acontecer.

Algumas complicações na placenta podem vir por causa de doenças pré-existentes, como a diabetes, pressão alta ou doenças que são comuns no processo gestacional como a pré-eclâmpsia, eclâmpsia e diabete gestacional. O tabagismo também pode interferir na qualidade placentária. Gestantes que fuma tem uma tendência maior a calcificação.

Publicidade

Inscreva-se em nosso canal no YouTube e fique por dentro de tudo o que acontece. CLIQUE AQUI

Publicidade
Shyrlene Souza

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.