in

Alertaram o casal a não adotar a menina, mas eles não deram ouvidos

A história macabra da menina que não seria adotada por ninguém se esse casal não tivesse se interessado.

Newsner
Publicidade

Adoção é um ato de amor. Existem muitas crianças que, ou por serem órfãs, ou por terem sido abandonadas, não possuem uma família. Em contrapartida, existem casais que não conseguem por vias próprias ter um bebê, ou querem aumentar a família, mas não desejam uma gestação. Esse foi o caso de Diana e Jerry. Eles já tinham 5 filhos adultos e decidiram que queriam mais uma criança.

Alertaram o casal a não adotar a menina, mas não deram ouvidos

Diana e Jerry participaram de uma feira de adoção, lá, Diana encontrou a foto de uma menina, por algum motivo, ela se encantou pela menina e decidiu adotá-la, mas os assistentes sociais avisaram para eles não adotarem a menina. Eles estranharam e perguntaram por quê, a resposta que receberam foi que ela era uma menina diferente. Depois disso o interesse deles cresceu e eles procuraram saber a história da garota. 

Danielle era o nome da menina, sua história começou de forma muito triste, e esse começo modificou completamente o rumo de sua vida. Tudo começou quando um vizinho observou uma criança olhando pela janela.

Publicidade

Publicidade
Publicidade

Ele estranhou a situação e chamou a polícia. Quando a polícia chegou, encontrou um cenário catastrófico na casa. Tinha uma mulher em uma casa muito suja e cheia de coisas bagunçadas, mas o que mais chamou a atenção foi uma menina franzina e ossuda que não conseguia andar, não falava e não olhava para as pessoas.

O ano era 2005 e Danielle foi resgatada. Ela estava vestida apenas com uma fralda que parecia não ter sido trocada a muitos dias. A menina estava deitada em um colchão mofado, o quarto estava cheio de baratas e havia larvas nos poucos brinquedos que a menina tinha.

Eles a adotaram mesmo com o alerta

Os policiais a levaram e começou a luta, mesmo com 7 anos, ela não falava, não andava e não interagia com as pessoas. Foi feito um tratamento nela que a fez, aos poucos conseguir realizar pequenas tarefas. Danielle não havia nascido com nenhum problema, mas as condições em que vivia fizeram com que ela ficasse daquele jeito. Sua mãe foi detida e condenada a cumprir serviços comunitários e prisão domiciliar.

Aos 8 anos, Danielle recebeu um novo nome. Ela foi adotada pelo casal e passou a se chamar Danny. Eles viveram felizes até que o divórcio aconteceu Diana e Jerry viram o casamento se desgastar com os cuidados com a nova filha. Ela já tinha 19 anos quando foi enviada para uma clínica de pessoas com deficiência intelectual. 

Publicidade

Inscreva-se em nosso canal no YouTube e fique por dentro de tudo o que acontece. CLIQUE AQUI

Publicidade
Tatiane Braz

Escrito por Tatiane Braz

Estudante, escritora e apaixonada pela verdade, tenho como meta levar a notícia de forma clara e real. Amo ler e percebo a cada dia que um mundo melhor se faz quando o conhecimento que adquirimos é colocado em prática. Faça contato comigo: tatianebraz1998@gmail.com