in

Diabética, hipertensa e asmática: a história de superação da professora que venceu a Covid-19

Professora passou mais de 40 dias internada em hospital em Santos, São Paulo.

Divulgação/G1
Publicidade

A pandemia tem feitos milhares de vítimas no mundo inteiro. No Brasil, o número de casos vem crescendo vertiginosamente e o total de mortos chega a ser algo assustador. Já são mais de 30 mil mortos e 500 mil infectados. No entanto, apesar de um quadro caótico e de tantas vidas interrompidas, a história de superação de pessoas que se recuperam da doença são emocionantes.

Esse é o caso da professora Margaret Pereira Valente, de 50 anos, que foi infectada pelo novo coronavírus em Santos, cidade que fica localizada na região litorânea de São Paulo. 

Ela é professora de Educação Especial e de Libras e afirmou que a enfermidade mudou completamente a sua perspectiva em relação à vida. A educadora ficou 20 dias na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e mais 20 dias na enfermaria depois que contraiu a Covid-19.

Publicidade

A professora começou a sentir falta de ar no dia 23 de março, além da dificuldade para respirar, a educadora sentia enjoos, fadiga e tosse. Hipertensa, diabética e com asma, ela procurou por ajuda médica em um hospital, mas em nenhum momento imaginou que seria coronavírus. Quando chegou ao Pronto Socorro, a médica a examinou e receitou um remédio, liberando para que ela fosse tratada em casa. Até então, não havia recebido o diagnóstico de Covid.

Publicidade
Publicidade

No dia 28 de março precisou retornar ao médico, pois a dificuldade para respirar era muito grande. A diabetes e pressão estavam descontroladas e a glicemia não controlava nem usando a medicação. Após ser submetida a um raio-x, os médicos logo a internaram.

“Tive momentos muito difíceis lá dentro. Achei que não iria sobreviver. Eu só pensava em como queria viver. Tive muitos sentimentos de morte. Tomava injeções todos os dias e insulina. Tive depressão, dias que não quis comer nada”, desabafou.

Apesar de todas as dificuldades, Margaret conseguiu sobreviver e demonstra o quanto foi guerreira em lutar pela sua vida. A alta aconteceu no de 4 de maio e para a professora foi um novo recomeço em sua vida e que a doença mudou completamente o rumo das coisas e começou a dar valor aquilo que realmente é importante.

Publicidade

Inscreva-se em nosso canal no YouTube e fique por dentro de tudo o que acontece. CLIQUE AQUI

Publicidade
Shyrlene Souza

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.