in

Covid-19 ou homicídio? Média histórica mostra o que mais matou brasileiros em um mês de maio

Levantamento mostra que Covid-19 matou mais de 23 mil pessoas no mês passado.

CNN Brasil
Publicidade

O Brasil vive o caos da pandemia causada pelo novo coronavírus e centenas de novas mortes são anunciadas todos os dias pelo Ministério da Saúde. Dados de maio mostram que ao menos 23.402 pessoas morreram em decorrência da Covid-19. Os números são preocupantes.

Levantamento do site Poder 360 mostra que o número de mortes por Covid-19, no maio de 2020, é bem maior do que a média de outras doenças nos meses de maio de 2014 a 2018. A fonte usada foi o DataSUS, que apresenta os dados até o ano de 2018. 

De acordo com levantamento do Poder 360, a Covid-19 matou quase cinco mil pessoas a mais, em média, do que o câncer, que ocupa o segundo lugar na lista, com 18.642 óbitos de média no mês de maio no período de 2014 a 2018. A terceira posição é ocupada por derrame e aneurisma, com 8.703 vítimas fatais durante os 31 dias de maio de todos esses anos. 

Publicidade

O ranking de mortes continua com infarto, que registra 8.190 falecimentos. Infarto é uma das doenças mais comuns no Brasil e no mundo. Na quinta posição da lista de mortes aparece a pneumonia, com 7.426 mortes. Assim como a Covid-19, a pneumonia também ataca os pulmões.

Publicidade
Publicidade

Quase seis mil pessoas morreram por doença no aparelho digestivo (5.777). O homicídio, da pergunta do título desta reportagem, matou 5.017 pessoas durante o mês. A lista continua ainda com diabetes (5.417), hipertensão (4.446), acidente de transporte (3.261), Alzheimer (1.579), doença por conta do HIV (1.033), suicídio (944), leucemia (612), desnutrição (539), asma (231), gripe (178), dengue (50).

Publicidade

Inscreva-se em nosso canal no YouTube e fique por dentro de tudo o que acontece. CLIQUE AQUI

Publicidade
Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br