in

O que esse homem fez com a namorada após o término é inacreditável

Conheça a história de Nick Lutz, de 20 anos de idade, que respondeu à altura a namorada após o fim do relacionamento.

Foto: Reprodução/Twitter
Publicidade

Uma separação é sempre difícil para ambas as partes e algumas pessoas nunca conseguem superar a dor do término do relacionamento. Porém, em alguns casos, a reação pode ultrapassar os limites e fazer com que a pessoa cometa algumas loucuras e atos bem fora do comum.

Foi isso que aconteceu com Nick Lutz quando sua namorada enviou a ele uma carta que justificava o fim do namoro. O estudante da faculdade University of Central Florida postou em sua conta do Twitter algo que surpreendeu a todos e se tornou viral na internet.

Publicidade

A maneira que o jovem encontrou para superar a tristeza foi corrigir a carta da namorada como se fosse uma redação de colégio. E, para completar, expôs o conteúdo nas redes sociais. A nota final foi “D -” que, no sistema norte-americano, corresponde a algo próximo de zero no Brasil.

Publicidade

A correção foi feita a caráter, com caneta vermelha, seguindo requisitos gramaticais de coesão, coerência e fonte de referências. A introdução foi marcada como muito longa, as hipóteses definidas como “sem embasamento” e a conclusão como curta demais.

Publicidade

A carta continha 4 páginas de justificativas para o fim do namoro, mas, segundo Nick, todas infundamentadas, mentirosas, afirmou o rapaz em entrevista à BBC. Ele disse que a namorada, cujo nome não foi revelado, estava acostumada a contar mentiras e fazer com que ele se saísse como estúpido nas divergências do casal. 

A relação durou cerca de 8 meses, nos quais a partir de 4 já começou a dar indícios de que algo não estava certo. As atitudes da moça envolviam esconder o telefone e codificar contatos frequentemente. Passeios com outros homens também fazem parte da lista.

Durante o texto, a afirmação “nunca te enganei” foi marcada como uma forte declaração e sem detalhes suficientes que pudesses sustentar a hipótese. Ao fim da carta, a frase “eu te amo” foi grifada e ganhou um ponto de interrogação.