in

Atacante pedido por Renato diz porque não fechou com o Grêmio: ‘forçaram a barra’

Jogador concedeu entrevista e contou detalhes do negócio que não foi fechado.

Divulgação Grêmio
Publicidade

O torcedor nem sempre compreende tudo o que acontece nos bastidores do futebol. Somente quando alguma das partes vem a público e explica o que aconteceu é que fica fácil de compreender determinadas situações. Em entrevista ao GaúchaZH, o atacante Kayke revelou porque não jogou no Grêmio.

Em 2017, Renato Portaluppi estava montando uma equipe com a sua cara, após ter sido campeão da Copa do Brasil no ano anterior. O treinador pediu a contratação de um camisa 9 e a diretoria foi atrás de Kayke, que defendia o Yokohama Marinos, do Japão. O negócio acabou não se concretizando, mesmo após o jogador viajar para Porto Alegre para assinar contrato.

Publicidade

Na entrevista ao GaúchaZH, o centroavante revelou os detalhes. Ele contou que estava muito feliz em se acertar com o Grêmio e deu entrevista quando chegou ao aeroporto para falar desse momento. Só que o negócio ainda não estava totalmente acertado entre as partes.

Publicidade

“O clube bateu o pé em uma ou outra situação que estava combinada, que não era do nosso acordo. Eu não ia trocar na hora, mudar o meu pensamento, porque forçaram a barra. O que aconteceu foi isso. O contrato estava pronto, e na hora tentaram mudar uma ou outra situação”, afirmou Kayke.

Publicidade

O jogador disse também que o carinho pelo Grêmio continua, apesar de não ter fechado o negócio na época. O motivo real para o jogador não ficar foi uma cláusula contratual de compra junto ao time japonês, após o empréstimo. O salário teria que reajustado. Atualmente, Kayke defende o Qatar SC. Sem Kayke, o Grêmio contratou Lucas Barríos e o atacante foi importante na disputa da Copa Libertadores da América daquele ano, que terminou com título do Tricolor. 

Publicidade
Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br