Regina Duarte deixa secretaria de Cultura e Bolsonaro convida ex-ator da Globo

Leia também

Após deixar o Grêmio, Marinho reclama do Santos: ‘quatro meses que não recebo’

Atacante desabafou nas redes sociais, após ser criticado por torcedores do Peixe.

Atriz que faz grande sucesso no SBT tem o salário reduzido devido à crise do coronavírus

Angelique Boyer e diversos outros artistas tiveram o salário reduzido na Televisa devido a crise financeira da emissora, causada pelo COVID-19.

Lutador famoso morre após tentar salvar o filho de afogamento: ‘Um herói’

O corpo do ex-lutador da WWE Shad Gaspard foi encontrado nesta quarta-feira (20).

Viviane Araujo pede indenização de R$ 30 mil e processa esposa de seu ex

Viviane Araujo processou Caroline Furlan, atual mulher de Radamés Martins, com quem foi casada.
Diogo Marcondes
Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator do i7 Network.
Publicidade

Há alguns dias a informação de que Regina Duarte deixaria a secretaria especial da Cultura começou a pipocar. Nesta quarta-feira (20), a ex-atriz da Rede Globo foi convidada por Jair Bolsonaro para um café da manhã no Palácio da Alvorada e foi definido que ela deixará o cargo.

De acordo com informações do R7, Regina Duarte teria dito a Bolsonaro que quer deixar o cargo para voltar a São Paulo. O objetivo dela é fica mais próxima da família. Regina deve ocupar um cargo na Cimateca da capital paulista.

Publicidade
Publicidade

Regina Duarte foi muito ativa durante a campanha do então candidato Jair Bolsonaro, em 2018. Grande nome da classe artística, ela se posicionou a favor de Bolsonaro. A atriz sempre se posicionou contrária ao Partido dos Trabalhadores (PT) nas últimas eleições presidenciais.

Publicidade

No Twitter, Bolsonaro postou um vídeo ao lado de Regina. “Regina Duarte relatou que sente falta de sua família, mas para que ela possa continuar contribuindo com o Governo e a Cultura Brasileira assumirá, em alguns dias, a Cinemateca em SP. Nos próximos dias, durante a transição, será mostrado o trabalho já realizado nos últimos 60 dias”, escreveu o perfil oficial do presidente na legenda da imagem.

Publicidade

Regina ficou pouco tempo à frente da secretaria. O momento mais polêmico foi a entrevista que ela concedeu ao canal CNN Brasil. Na conversa com o jornalista Daniel Adjuto, ela se recusou a ouvir um áudio de Maitê Proença e foi muito criticada ao falar sobre as pessoas que foram mortas no período do regime militar.

A ex-atriz da Rede Globo também vinha sendo criticada por não apresentar ações práticas na sua área. Regina e Bolsonaro tinham pouco diálogo. Para o lugar dela, o presidente convidou o também ex-ator da Globo Mário Frias.