in

Estes são os sintomas psicológicos e físicos causados pela ansiedade

Muitas vezes, os sintomas de ansiedade são claros, e é possível evitar que essa condição piore tomando as atitudes certas.

Reprodução/ Pixabay
Publicidade

Casos de ansiedade estão aumentando de forma considerável ao redor do mundo, o que causa preocupações em especialistas da área.
Um dos grandes problemas dessa condição é que, na maioria das vezes, é difícil separar os seus sintomas dos sintomas de um nervosismo ou mal-estar. 

Por isso, veja abaixo os principais sintomas que podem ser indícios sérios de ansiedade.
Pode ser necessário checar um médico caso uma pessoa veja que apresenta muitos desses problemas. 

Publicidade

Enjoo

Para alguém que sofre com ansiedade, é comum sentir fortes enjoos ou a sensação de mal-estar constante.
Isso pode ser facilmente confundido como um sintoma de gripe ou outra doença mais comum, podendo dificultar o diagnóstico. 

Publicidade

Dores nas costas

Outro tipo de incômodo frequente é o da dor nas costas, algo que acomete a maioria das pessoas nos dias de hoje.
Como muitos são sedentários, é difícil dizer se isso é um sintoma de ansiedade ou de falta de exercícios. 

Publicidade

Problemas para dormir

O ansioso costuma refletir muito sobre seus problemas quando está deitado na cama, o que dificulta seu sono.
Uma boa solução é usar um abajur com luz amarela – mais natural aos olhos – para ler, quando souber que não está conseguindo dormir. 

Respiração inconstante

Nesse caso, a respiração pode estar acelerada ou até mesmo mais lenta, alternando constantemente.
Isso porque o ansioso tende a passar por estados de euforia e nervosismo de uma hora pra outra, dependendo do que se passa em sua cabeça. 

Preocupação constante

Quando um problema acomete um ansioso, é comum que ele continue com aquela preocupação por dias, semanas ou meses.
Se um problema o persegue por mais tempo do que seria necessário, é possível que seja a hora de procurar um médico ou psicólogo. 

Caso alguns desses sintomas sejam frequentes, pode ser necessário se consultar com um psicólogo ou psiquiatra.

Publicidade