in

Santos prevê grande prejuízo com coronavírus: “É efeito dominó”

Gazeta Esportiva
Publicidade

José Carlos Peres, o mandatário do Peixe, falou francamente sobre o prejuízo que o clube terá em torno de 70% nas receitas devido à crise que o mundo do futebol está sofrendo. Neste período de paralisação de todos os torneios devido à Covid-19, o presidente do Santos está tentando negociar os salários de seus funcionários e assim diminuir o impacto do prejuízo neste momento para o clube.

Santos prevê grande prejuízo com coronavírus: “É efeito dominó”

Em bate-papo, com a Bandsports, Peres disse: “Primeiro mês de março foi pago direitinho. E agora estamos conversando sobre abril e maio. Discussão é difícil porque não sabemos o que vem pela frente. Discutimos sobre abril que vence em maio, conversamos com os jogadores e sabemos que essa conta não deve ser paga por um só. Coletivamente: padrão, empregado, empresas parceiras. Buscamos agora um percentual. Não dá para fazer coletivo, cada clube tem sua característica e relação com os jogadores. Cada clube negocia para saber a divisão de prejuízo. Para o clube já é 70% do prejuízo das receitas”.

Carlos Peres explicou que a mecânica do ciclo do dinheiro funciona como efeito dominó: quando a TV Globo não tem faturamento com patrocinador, ela deixa de pagar os cubes, e como o Campeonato Paulista foi paralisado, os pagamentos foram pausados, e um mês sem receber compromete o vencimento do próximo mês. A dependência da transmissão pela rede de comunicação surge quando os torcedores não podem ir para os estádios, e ficando em casa, não existe vendas de ingressos, então, os clubes ficam dependentes do faturamento da emissora.

Publicidade

Publicidade

José Carlos Peres explica situação do Peixe e quer fim de Campeonato Paulista ainda nesta temporada

 “Precisamos ter criatividade e apoio dos atletas, comissão e funcionários, com todos em consciência na crise surreal, uma calamidade pública. Jamais imaginei que sairia dos filmes para a realidade. Todo mundo vai entender que todo mundo vai perder nessa crise. E é preciso ter divisão nos prejuízos. Não tem como uma parte só ter o prejuízo”, completou Peres.

O presidente do Peixe disse que quer o fim do Campeonato Paulista ainda nessa temporada, apesar do clube não estar preparado para esse momento e que esta crise também abalou os grandes como Santos, Corinthians, Palmeiras, São Paulo, Flamengo, Vasco. A maioria dos times brasileiros, mediante falta de recursos financeiros inesperada, não estão tendo estrutura para sustentar o clube, comissão técnica e todo corpo de funcionários.

O Brasil, nos meados da década de 40, sobreviveu à crise que se alastrou decorrente da guerra, também se recuperou em outros tempos de tempos difíceis na economia brasileira. O momento em que os prejuízos estão crescendo cada vez mais devido à paralisação inevitável do mundo do futebol, é a oportunidade para que os clubes aproveitem para solucionar os problemas internos e incentivar o crescimento do time.

José Carlos Peres comentou alguns assuntos que tem feito por videoconferência com CBF e Federação Paulista, que existe previsão de dar continuidade a competição Paulista com início em julho para finalizar em dezembro, com 38 rodadas.

Publicidade