in

Número de mortos pelo novo coronavirus na China dá um salto após revisão de autoridades

Reprodução / The Guardian
Publicidade

Uma força-tarefa do governo local de Wuhan, na China, revisou o número de óbitos causados pelo novo coronavírus na cidade. Na manhã desta sexta-feira (17), autoridades chegaram à conclusão de que 1290 mortes ainda não haviam sido computadas. Assim, o número total no país deu um salto e chegou a 4632.

Wuhan sofreu mais mortes do que qualquer outra cidade do país, 3.869. Sendo o primeiro epicentro da doença, seu sistema de saúde foi do mesmo modo o primeiro a se sobrecarregar. Esta sobrecarga também foi a causa para este acréscimo tardio nas estatísticas. No pico da epidemia, muitos pacientes com Covid-19 não puderam ser atendidos em clínicas ou hospitais, e morreram em casa. Suas mortes, então, não haviam sido contabilizadas.

A revisão das autoridades chinesas também indicou um aumento de 325 casos confirmados. Sendo assim, só nesta metrópole chinesa, 50.333 pessoas foram atingidas pelo novo coronavírus, o que representa 60% de todos os casos do país.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

A justificativa chinesa para a falha

A nova divulgação não diminuiu o ceticismo de autoridades estrangeiras em relação a verdadeira situação da China em relação ao Covid-19, uma vez que a doença se espalha rapidamente pelo resto do mundo. O governo chinês então justificou que a atualização tardia dos números não foi uma tentativa de esconder o cenário nacional, mas sim um resultado de entrega de relatórios incorretos e atrasados.

Atualização dos casos

De acordo com o centro de pesquisas da Universidade de John Hopkins, nos Estados Unidos, até a manhã desta sexta-feira (17), haviam 2.181.508 casos confirmados de pessoas com Covi-19, e mais de 147 mil mortes. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade