in

Luto no sertanejo: coronavírus mata cantor aos 61 anos; foi tudo muito rápido

Arte / Fernando
Publicidade

O cantor country Joe Diffie, que teve uma série de sucessos na década de 1990 com baladas no topo das paradas e singles honky-tonk como “Home” e “Pickup Man”, morreu após testar positivo para COVID-19. Ele tinha 61 anos. Tudo foi muito rápido. Entre o diagnóstico da doença e a morte do artista foram apenas dois dias. O falecimento do cantor foi confirmado neste domingo, 29 de março, como mostra uma matéria do portal de notícias G1. 

Na sexta-feira, Diffie anunciou que havia contraído o coronavírus, tornando-se a primeira estrela do país a tornar público esse diagnóstico. O publicitário de Diffie, Scott Adkins, disse que o cantor morreu no domingo devido a complicações do vírus.

Diffie, natural de Tulsa, Oklahoma, foi membro do Grand Ole Opry por mais de 25 anos. Seus sucessos incluem “Honky Tonk Attitude”, “Me apoie ao lado da jukebox (se eu morrer)”, “Maior que os Beatles” e “Se o diabo dançou (nos bolsos vazios)”.
Seus álbuns de meados dos anos 90, “Honkey Tonk Attitude” e “Third Rock From the Sun”, ganharam o disco de platina.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Dezoito dos singles de Diffie chegaram ao top 10 no cenário americano, com cinco sendo o número 1. Em seu single de 2013 “1994”, Jason Aldean nomeou o nome do mainstay dos anos 90 no país.  Diffie deixa sua esposa, Theresa Crump, e cinco filhos de seus quatro casamentos.

Veja abaixo uma foto desse grande artista, que foi mais uma das vítimas do coronavírus no mundo.

Lembrando que o coronavírus já matou quase 34 mil pessoas em todo o planeta. O número de infectados já ultrapassou os 700 mil. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
FERNANDO B

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.