in

Churrasqueiro de rua diz a Bolsonaro porque está trabalhando: ‘Morre da doença ou de fome’

Fotomontagem: Bruno Avila / Reprodução Twitter / EBC
Publicidade

O presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, contrariou as recomendações do Ministério da Saúde e decidiu ir às ruas. Bolsonaro foi muito criticado por criar pequenas aglomerações em um momento de pandemia global, causada pelo novo coronavírus.

Bolsonaro defende que os comércios reabram e que somente os idosos sejam isolados neste momento delicado da saúde mundial. Para provar que seu posicionamento está correto, o presidente entrevistou um churrasqueiro de rua, que continuou trabalhando em meio a quarentena.

O mais emocionante foi em Taguatinga. Um senhor vendendo churrasquinho de gato, assim que é conhecido, já comi muito churrasquinho de gato, falando dos problemas dele para sobreviver“, disse Bolsonaro.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em um vídeo postado no Twitter, o churrasqueiro diz que concorda com o presidente para que todos voltem a trabalhar. “A morte está aí, mas… Seja o que Deus quiser. Ou morre da doença ou morre de fome“, disse o churrasqueiro, que foi contrariado por Bolsonaro: “mas não vai morrer de nada“.

O churrasqueiro prosseguiu dizendo que acredita que sua saúde estaria boa. Tudo foi gravado em Taguatinga, no Distrito Federal, onde Bolsonaro aproveitou para fazer uma tour, ir à mercados e conversar com a população que estava nas ruas.

O presidente tem sido muito criticado neste momento. As recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) é para que todos fiquem dentro de casa e deixem de disseminar a doença Covid-19. Bolsonaro acredita que o contágio seria inevitável e defende o retorno dos comércios para possivelmente evitar um “colapso econômico“.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Bruno Avila

Escrito por Bruno Avila

Redator de futebol, política e famosos desde 2016. Hoje um dos redatores mais lidos do 1News Brasil. Fique à vontade para falar comigo: [email protected]