Decreto de Bolsonaro é publicado e envolve trabalhadores, veja o que ele diz

Leia também

Prefeito tenta acalmar a população sobre coronavírus: ‘Todos nós seremos contaminados’

Prefeito do município de Limeira tenta acalmar a população pela pandemia do coronavírus.

O que o segurança de Bolsonaro fez com a equipe da Globo é surpreendente

Profissional surpreendeu apoiadores de Bolsonaro e solicitou respeito aos jornalistas que ali trabalhavam.

Kelly Key deixa filha cortar seu cabelo em live e surta com resultado

Através de uma live Kelly Key e sua filha fizeram alguns procedimentos de beleza.

Grêmio pensa em fórmula ‘Paulo Nunes’ para reforçar equipe em meio à crise

Efeitos da crise causada pela pandemia do novo coronavírus devem afetar negócios do futebol.
Publicidade

Na noite da última terça-feira (24/03), o atual presidente, Jair Messias Bolsonaro, foi às redes sociais para publicar um comunicado a respeito do período de quarentena que o Brasil está enfrentando. O presidente deixou claro que pretende cancelar o bloqueio do comércio a fim de evitar um possível colapso na economia nacional.

Na manhã desta quarta-feira (25/03), ele esteve em uma entrevista na qual reforçou sua posição sobre o fim da quarentena. Segundo o presidente, a falta de trabalho pode causar uma crise financeira e prejudicar as famílias, que não estão permitidas de trabalhar devido ao surto do coronavírus.

Publicidade

Na noite desta quarta, o presidente voltou a ser assunto nas redes sociais devido a um novo comunicado que compartilhou com os internautas acerca de uma área de serviço que deverá voltar a funcionar.

Através de seu perfil no Twitter, Bolsonaro escreveu: “Casas lotéricas/Funcionamento: No Brasil existem 12.956 casas lotéricas e 2.463 se encontram fechadas por decretos estaduais ou municipais. Para que possam funcionar em sua plenitude, atualizei, nessa data, o Decreto 10.282“.

Publicidade

Sobre o restante dos trabalhadores, o presidente ainda não emitiu decreto. Em um comunicado anterior, ele falou que não há outro jeito de driblar o colapso econômico senão todos voltando ao serviço. É provável que o magistrado volte a se manifestar em breve para definir se haverá ou não o retorno dos estabelecimentos comerciais, que estão sujeitos a penalidades em caso do descumprimento da quarentena.

Publicidade