Bolsa família: governo vai reforçar o programa com R$ 3 bilhões

Leia também

Grêmio pensa em fórmula ‘Paulo Nunes’ para reforçar equipe em meio à crise

Efeitos da crise causada pela pandemia do novo coronavírus devem afetar negócios do futebol.

Pedreiro detona Graciele Lacerda após ela dizer que está sem dinheiro: ‘toma vergonha na cara’

Graciele Lacerda foi detonada por pedreiro após ela dizer que está sem dinheiro.

Corinthians sofre ‘golpe’ da Globo e desfalque financeiro causa impacto

Diretoria do Timão foi comunicada que pagamento não cairia devido à paralisação do futebol.

Multicampeão Renato Portaluppi recebe elogio surpreendente: ‘estátua é pouco’

Treinador do Grêmio foi elogiado por colega de profissão que já trabalhou no Internacional.
Publicidade

O coronavírus tem provocado uma grande onda de caos em vários países. Devido ao período de quarentena, recomendado pela Organização Mundial da Saúde, o comércio precisou ser fechado a fim de tentar evitar a disseminação da doença, que está afetando pessoas de todas as idades.

Diante das circunstâncias, o governo tem tido que criar medidas para evitar o caos, já que sem comércio, muitas famílias não conseguem adquirir renda para a sobrevivência. Uma das medidas foi o benefício de R$ 200,00 por três meses a trabalhadores de baixa renda que sejam informais, autônomos e desempregados.

Publicidade

Nesta quarta-feira (25/03), o Ministério Público publicou uma nota, através de Diário Oficial da União, afirmando que liberou R$ 3 bilhões que serão destinados ao programa Bolsa Família para ajudar nesse momento de pandemia. Além disso, o Ministério da Cidadania revelou que suspenderá o bloqueio e o cancelamento do benefício por 120 dias.

Além da verba destinada ao Bolsa Família, o governo liberou ainda R$ 100 milhões para ações no enfrentamento da covid-19, R$ 62 milhões destinados às Relações Exteriores e R$ 220 milhões para a Defesa. Na totalidade, o Ministério Público afirmou que serão R$ 3,4 bilhões em gastos extras devido ao momento de crise por causa da pandemia.

Publicidade

Até o momento, o governo não revelou se irá ou não cancelar a quarentena. No último pronunciamento do presidente Jair Messias Bolsonaro, ele deixou claro que apoia o fim do período e o retorno dos trabalhadores ao seus respectivos serviços.

Publicidade