Travestis que vivem na prostituição terão ‘renda mínima’ durante pandemia de coronavírus

Leia também

Galã de Fina Estampa perdeu a filha de forma repentina e abre o coração sobre tragédia

Ator de Fina Estampa comentou como é superar a morte da filha em relato emocionante.

Bolo gelado de coco fácil, rápido e barato; dá até para ganhar um dinheirinho extra

Que tal usar suas habilidades na cozinha para levantar aquele dinheirinho extra? A dica de hoje garante sucesso de vendas!

‘Meu marido com HIV se casou com minha filha e eles me expulsaram’, diz mãe

A história da mulher se tornou conhecida depois que ela foi entrevista na televisão.

Bananas caramelizadas com creme em tacinhas individuais é a melhor pedida para o final de semana

Aquela sobremesa de Domingo baratinha e deliciosa que vai fazer tanto sucesso na família e todo mundo vai pedir a receita!
Russel
Sempre ligado a tudo que acontece no Brasil e no mundo, estou sempre trazendo as últimas notícias sobre o mundo dos famosos, reality shows, filmes, músicas, novelas e programas de televisão de um modo geral. Aqui você ficará sempre muito bem informado. Se quiser entrar em contato, fique à vontade: russelmy@yahoo.com.br
Publicidade

Nesta última quinta-feira (19), a ONG Transvest informou que travestis e demais transgêneros que exercem ‘trabalho sexual’, poderão contar com um auxílio financeiro e também atendimento psicológico gratuito, caso precisarem. E as pessoas sobrevivem de um trabalho que precisa manter contato com os outros e agora isto não deve ser feito devido a pandemia do coronavírus.

A ativista e dirigente da ONG, Duda Salabert, foi quem anunciou a ajuda financeira no valor de R$ 100 reais e neste primeiro momento pelo menos 90 travestis e transexuais de Belo Horizonte receberão o valor. Para as idosas será repassado o valor de R$ 200.

Publicidade

Esse benefício será fornecido durantes os meses de março e abril, juntamente com auxílio psicológico virtual, é só fazer o agendamento pelo WhatsApp. “No atual momento do coronavírus, é indicado o distanciamento social. Essa medida, apesar de ser extremamente importante, traz inúmeros impactos para nós, travestis e transexuais. É importante lembrar que, no Brasil, 90% dessas pessoas está na prostituição, pois há uma transfobia odiosa que nos expulsa do mercado de trabalho”, informou Duda em seu perfil no Instagram.

Publicidade

Ela contou que este distanciamento social é importante para que as pessoas sobrevivam, mas sem a renda, muitos trans estarão em dificuldades financeiras. Quem tiver interesse deve entrar em contato com a ONG Transvest. Duda Salabert, ao divulgar um vídeo informando sobre este benefício, aproveitou para criar uma vaquinha virtual para arrecadar mais fundos para conseguir ampliar esta assistência.

Publicidade

View this post on Instagram

90% das Travestis e transexuais do país estão na prostituição. Nesse contexto do Coronavírus, a @ongtransvest adotará duas medidas para ajudar as travestis e transexuais de BH: . . 💜Renda mínima trans: transferiremos 100 reais mensais para 90 travestis e transexuais de BH . Para travestis idosas, o valor mensal é de 200 reais. . . . 💜Precisamos e queremos ajudar mais travestis. Ajude a nossa vaquinha : https://evoe.cc/transvest . . . 💜 Ofereceremos atendimento psicólogico gratuito para as pessoas trans. Os atendimentos ocorrerão virtualmente e está sendo organizado por nossa maravilhosa e experiente psicóloga @patriciasoliveira85 . . . Se vc pessoa trans precisa da ajuda psicológica ou da renda mínima, mande mensagem para o seguinte whatsapp: 31 99398 35 71 . . . . 🙏✊Ajude financeiramente. Ajude também compartilhando ou comentando esse vídeo.

A post shared by Duda Salabert (@duda_salabert) on

Salabert comentou que neste momento de crise financeira e humanitária, a solidariedade é um dos melhores remédios e que é hora das pessoas pensarem no próximo e ajudar da forma que puder.