Egoísmo durante coronavírus: idoso solitário em mercado sem comida comove o mundo

Leia também

O emocionante aniversário de uma criança com asma em meio à pandemia

Os pais da garota decidiram inovar e fizeram a festa com convidados, mas o mantiveram à distância.

Lembra dessa atriz de Fina Estampa? Quase 10 anos depois, ela está ainda mais linda

No ar em 'Totalmente demais' e 'Fina estampa', Adriana Birolli passa quarentena ao lado do namorado.

Lembra do Repórter Vesgo? O que a vida deu para ele vai te emocionar

Nasce filha de Rodrigo Scarpa, o repórter Vesgo, que agora mora nos Estados Unidos.

Vidente Carlinhos apavora com novas previsões da pandemia e faz apelo a todos

Em novo vídeo, vidente Carlinhos faz um apelo a toda população em meio à pandemia.
Fernando B
As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.
Publicidade

O coronavírus tem mudado a forma como as pessoas agem pelo mundo. No entanto, muitas pessoas têm sido egoísta diante do vírus, que já matou mais de 8 mil pessoas em todo o planeta. Os especialistas, inclusive, recomendam a quarentena, especialmente entre os mais idosos. No entanto, as pessoas precisam comer, ter remédios e etc. 

Uma imagem de um idoso procurando alimentos em um supermercado da Inglaterra, por exemplo, rodou o mundo. Na fotografia, o idoso estaria na sessão do papel higiênico, um dos itens mais desabastecidos dos mercados. A imagem de tristeza do idoso por não poder fazer suas compras, enquanto algumas pessoas estavam com carrinhos abarrotados deu o que falar. 

Publicidade

Milli Taylor, que fez o registro da imagem e divulgou o conteúdo nas redes sociais, opinou sobre o egoísmo encontrado nas ruas de todo o mundo com pessoas comprando itens de maneira exagerada e esquecendo-se das outras.

Publicidade

“Esta situação parte o meu coração. Estamos juntos nisto, podemos começar a agir como tal? Se estás comprar mais do que precisas, outra pessoa fica sem nada. Por favor, pensa nos outros, antes de encheres o teu carrinho”, disse ela ao falar sobre o assunto ao falar sobre o tema, que deu o que falar. 

Publicidade

No Brasil, há mais de 300 casos da doença e um óbito confirmado. O principal medo das autoridades é, nesse momento, que todas as UTIs não tenham capacidade para suportar o grande número de pacientes. Existe a expectativa para que um decreto do governo federal estabeleça o chamado “estado de calamidade pública” no país para essa semana.