Perigo! O que o Ministério da Saúde diz sobre álcool em gel caseiro

Leia também

Ex-marido de Ivy revela verdadeira face da sister após acusação de racismo: ‘Alienada’

No BBB20, Ivy deu declarações polêmicas contra Babu e tem sido acusada de racismo.

10 provas de que Renata Fan é uma das apresentadoras mais lindas e exuberantes do mundo

A apresentadora esportiva é um dos grandes destaques na emissora Bandeirantes.

Número de bebês abandonados aumenta durante a pandemia e causa dor moral

Nas últimas semanas aumentou o número de bebês abandonados e situação é explicada.

Pai de Fernando Rocha é vítima do novo coronavírus; apresentador desabafa

O apresentador que já foi da TV Globo desabafou após seu pai e seu filho serem infectados pelo novo coronavírus.
Tatiane Braz
Estudante, escritora e apaixonada pela verdade, tenho como meta levar a notícia de forma clara e real. Amo ler e percebo a cada dia que um mundo melhor se faz quando o conhecimento que adquirimos é colocado em prática.
Publicidade

O assunto mais falado no momento é o coronavírus, milhares de pessoas já morreram em todo o mundo devido a essa doença e todo o planeta está em alerta por conta do massivo espalhamento do vírus entre os seres humanos. Um dos principais aliados para travar o avanço do vírus é o uso de gel bactericida ou álcool em gel. Devido a grande demanda por esse produto ele está esgotado em diversos países.

Perigo de fazer álcool em gel caseiro

Para tentar ajudar a população, surgiram diversos vídeos nas redes sociais ensinando as pessoas a produzirem o álcool em gel de forma caseira utilizando ingredientes que encontram em casa e ‘garantem com toda a certeza’ que esse gel caseiro protege contra a doença, será que isso é verdade?

Publicidade

O Ministério da Saúde garante que não, esse álcool em gel caseiro não tem eficácia cientificamente comprovada por isso não pode ser aceito para uso e prevenção de uma doença tão contagiosa. 

Publicidade

Os ingredientes utilizados na produção não podem ser considerados como confiáveis e isso pode expor as pessoas que acreditam na veracidade do produto, em risco de contágio.

Publicidade

Ministério da Saúde apontou os perigos

A recomendação dada é a de que na falta do álcool em gel, lavem-se as mãos por no mínimo 20 segundos com água e sabão, o vírus não resiste a química do sabão, se a mão for bem lavada é quase impossível o contágio. O gel bactericida é recomendável para situações onde não dá para lavar as mãos.

Use o produto quando estiver na rua e não houver lugar para higienizar as mãos, se estiver em casa, lave com frequência e durante 20 segundos e o problema estará resolvido.