in

Bruno pode chegar perto do filho que tentou matar e vó se desespera: ‘É apavorante’

Fotomontagem: Bruno Avila / Alex Carvalho/Agif/Folhapress/VEJA / Flavio Tavares/Hoje em Dia/ AE
Publicidade

O goleiro Bruno Fernandes cometeu o assassinato de Eliza Samúdio em 2010. O motivo para o atleta cometer tal barbaridade foi um filho que teve com a jovem, e que teria que provar a paternidade. Bruno era contra assumir o pequeno Bruninho, que tem o mesmo nome do pai.

Segundo o que a investigação concluiu, o plano do goleiro Bruno também era assassinar a criança. Hoje, Bruninho tem 9 anos e é criado pela avó Sônia Samúdio, mãe de Eliza. O goleiro vive em regime semiaberto e recebeu liberação da Justiça para atuar por clubes de futebol.

O Operário-MT fica na região metropolitana de Cuiabá e sondava o goleiro. Já havia sido autorizada a contratação do atleta, na Justiça. Com isso, Bruno ficaria perto do filho que tentou assassinar.

Publicidade

A decisão da Justiça fez com que a avó de Bruninho se desesperasse: “Ele estar perto de mim é apavorante. Estou com medo. Eu não teria coragem de deixar o Bruninho com ele a sós“. O goleiro, no entanto, não se pronunciou sobre tentar ver o seu filho pessoalmente.

O Operário-MT desistiu da contratação do atleta após a repercussão negativa e perda de patrocínios. Até o momento, ainda não há informações se Bruno negocia com outros times, mas clubes da região onde mora seu filho com Eliza podem despertar interesses.

A mãe de Eliza Samúdio, dona Sônia diz que Bruno deveria ao menos utilizar uma tornozeleira eletrônica e também afirma que não entende decisões favoráveis da Justiça ao assassino. O goleiro cumpriu apenas 6 anos e meio de prisão em regime fechado e, em 2017, passou ao semiaberto.

Bruno Avila

Escrito por Bruno Avila

Redator de futebol, política e famosos desde 2016. Hoje um dos redatores mais lidos do 1News Brasil. Fique à vontade para falar comigo: brunoavilaprof@outlook.com