in

Selfie evita que jovem cumpra pena de 99 anos por agressão; entenda

E-Daily/ Unilad
Publicidade

Em setembro de 2017, Christopher Precopia foi acusado de ser o autor de agressões contra sua ex-namorada. O caso ficou bastante conhecido devido ao seu desfecho inusitado. O jovem comprovou sua inocência atrás de uma selfie, que o livrou de cumprir 99 anos de prisão.

As acusações eram baseadas no relato da jovem, que disse à polícia que Christopher havia invadido sua casa e desferido golpes de faca contra ela, deixando uma cicatriz em formato de “x” em seu peito. Inconformado com o relato de sua ex-namorada, o jovem alegou inocência e garantiu que estava na companhia de seus familiares, durante o horário do suposto crime.

Publicidade

No entanto, o jovem foi detido e somente foi liberado perante o pagamento de uma fiança no valor de US$ 150 mil, algo em torno de R$ 610 mil.

Mesmo após ser liberado, o processo continuava em andamento e a pena máxima para o suposto crime era de 99 anos de prisão. Precopia encontrou uma selfie ao lado de seus familiares, que foi postada na noite do crime. As imagens continham a localização e o horário exato em que foram registradas.

O tribunal concluiu que ele não podia ser culpado, já que estava no hotel Renaissance Austin com sua família. O local se encontrava a 65 quilômetros da residência de sua ex-namorada e não seria possível concluir o trajeto em apenas 18 minutos, horário em que aconteceu o suposto ataque.

Pouco tempo depois, a jovem confessou que a acusação não passava de uma mentira para prejudicar o ex-namorado, já que eles viveram uma relação bastante conturbada. O caso impressionou a mídia mundial e causou comoção entre os internautas, que debateram como uma mentira pode colocar em risco a liberdade de uma pessoa.