in

Luciano Hang diz que sofreu ‘ataque terrorista’ após incêndio na Havan em São Carlos

Uol Notícias
Publicidade

Na última terça-feira, dia 31 de dezembro de 2019, a estátua de uma das lojas da Havan, em São Carlos (SP), foi consumida pelas chamas durante a madrugada. As imagens que circulam pela internet mostram a escultura de 32 metros de altura em chamas. O corpo de bombeiros precisou ser acionado e controlou a situação. Ninguém ficou ferido.

A escultura em acrílico é uma réplica da Estátua da Liberdade, da cidade de New York, nos Estados Unidos. Ela está presente na entrada das lojas de departamento da Havan desde 1995, e o custo de sua fabricação gira em torno de R$ 1.5 milhão.

Publicidade

Duas equipes do corpo de bombeiro foram necessárias para controlar o incêndio, que começou por volta de 5 horas. O trabalho de contenção durou 20 minutos, e não foi preciso interromper o trânsito da Rodovia Washington Luís (SP-310).

Em uma transmissão ao vivo no Facebook, o dono da Havan, Luciano Hang, afirmou que foi vítima de um “ataque terrorista”, motivado por causas políticas. Ele mostrou imagens da réplica após o acidente e pichações realizadas na base da estátua. Além disso, garantiu que uma nova estátua será colocada na unidade de São Carlos, que foi inaugurada em 2012.

Hang, que é apoiador do presidente Bolsonaro, disse que é contra atos que impedem a liberdade de expressão, como ocorreu com o Porta dos Fundos. No entanto, ele acredita que o ato de vandalismo tenha sido orquestrado pelo movimento de esquerda. “Querem nos calar, não têm propostas, não têm argumentos, e aí partem para a ignorância, para o ataque físico.”, disse.

Segundo a assessoria de imprensa da Havan, as imagens da câmera de segurança foram entregues a polícia, que está fazendo um trabalho investigativo para verificar as causas do incêndio.