in

3 crenças populares sobre gravidez que a ciência comprovou ser verdadeira

Divulgação/bebemamae
Publicidade

A gestação é um momento especial tanto para a futura mamãe quanto para os amigos e familiares. Contudo, basta revelar a gestação para que os palpites começarem a ser dados. Existem orientações de todos os tipos, sobre a alimentação, o tipo de roupa e até sobre a maneira como deve ser o comportamento. 

Publicidade

Tem sempre uma avó ou tia que gosta de palpitar e algumas orientações chegam podem até mesmo assustar as futuras mamães. A verdade é que a maioria desses conselhos não passa de crendices, porém em alguns casos a ciência vem comprovando que alguns desses palpites são verdadeiros.

Publicidade

Esse artigo vai elencar três crendices do tempo da vovó que foram comprovadas pela ciência que são realmente verdadeiras.

Bebê cabeludo provoca azia

Se você já foi mãe e se queixou de azia alguma vez, provavelmente ouviu que o seu bebê nasceria cabeludo. Pesquisadores dos Estados Unidos decidiram verificar se realmente existe fundamento cientifico nessa afirmação. Para surpresa da equipe de estudiosos, a crença passada de geração em geração realmente é verdadeira.

Publicidade

Eles acompanharam 64 gestantes durante a pesquisa e 28 reclamavam de azia. Foi constatado 23 grávidas que queixavam do problema realmente tiveram bebês que nasceram cabeludos. Já a maior parte que não tiveram esse problema tiveram bebês que nasceram carequinhas.

Gestação de menina provoca mais enjoo

Uma outra crendice popular é que as mulheres que tem mais enjoos estão esperando menina. Por incrível que pareça, o estudo pode constatar que o fato é realmente verídico. A pesquisa realizada com 1,6 milhões de grávidas na Suécia observou que as grávidas que sofrem com hiperemese tem 56% de chances de ter menina.

Para ter menino coma banana

Se você tem o desejo de ser mãe de um menino invista em uma alimentação rica em banana. De acordo com a crença popular quando a mulher está tentando engravidar comer banana aumenta a chance de conceber um bebê menino. Estudiosos do Reino Unido conseguiram constatar que realmente esse hábito pode aumentar as possibilidades de ter um garotão.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Shyrlene SP

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, mas principalmente sobre o tema maternidade. "Busco levar a vida seguindo o manual do criador, a Bíblia".

Tragédia: ônibus com 42 menores capota no Brasil e corpo é retirado; imagens fortes

Leo Dias expõe relação com filhas de Silvio Santos e o que diz em carta surpreende