in

Morte, drogas e prisão: a terrível maldição do Pânico na TV, que muitos tentaram esconder

Band / RedeTV! Record / Montagem
Publicidade

O programa Pânico na TV foi um dos maiores sucessos da televisão brasileira, tendo passado pela RedeTV! e TV Bandeirantes. Em sua fase áurea, a atração chegou a ter dois dígitos no Ibope da Grande São Paulo, tendo picos de vice-liderança, o que para os padrões da então RedeTV! era um verdadeiro fenômeno.

Publicidade

O que poucos sabem é que diversos participantes que estiveram no programa viram suas vidas passarem por uma grande maldição. Esse fenômeno envolve de drogas à prisão, passando até por um caso de morte. A seguir, lembramos alguns nomes do Pânico que viveram tragédias em suas vidas pessoais, ou que, pelo menos, passaram por uma fase ruim.  

Publicidade

Toninho

O segurança virou meme da atração, mas acabou sendo um dos participantes do programa que já morreu. Alan Rapp, então diretor da atração, acabou comunicando o falecimento no ano de 2010. 

Prisão 

Carlinhos Silva, o Mendigo, foi alvo de uma mandato de prisão, após dever cerca de R$ 650 mil de  pensão alimentícia. Até o dia 4 de novembro, quando notícias atualizadas sobre o caso foram publicadas, Carlinhos continuava foragido da justiça. 

Publicidade

Drogas

Um dos participantes mais notórios do Pânico foi Zina. Com os bordões “Ronaldo” e “brilha muito no Corinthians”, ele também passou a fazer parte do humorístico. Zina foi preso em 2012, ao tentar roubar uma garrafa de bebida alcoólica de uma panificadora. Ele possui problemas mentais e toma remédios controlados.

Com histórico com drogas, Zina ainda estaria vivo. Em 2019, segundo informações de uma rádio, ele foi visto perambulando pelas ruas de São Paulo.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Fernando B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.

Bom Sucesso: Alberto sofre grave acidente e o pior acontece: ‘Não morra, por favor!’

Jacquin é chamado para salvar fábrica da novela e acaba com raça de Fabiana: ‘Idiota’