Suposto assassino de jovem que saiu para comprar fralda já foi preso por crime bárbaro

Leia também

Hospital se confunde, troca corpos e mulher é enterrada no lugar de homem com coronavírus

Os familiares sofreram duas vezes, sendo uma por causa da morte e outra pela troca dos corpos.

A Fazenda 12: Jojo Todynho e famoso ator já fecharam com a RecordTV para o reality rural

A RecordTV vem estudando uma forma de realizar a 12ª edição de seu reality com segurança.

Em vídeo de animação, Jair Bolsonaro morre após tomar chá de cloroquina dado por Lady Gaga

O vídeo caiu no gosto dos internautas e já foi visto por milhares de pessoas, se tornado um sucesso na web.

5 dicas para manter a casa segura e evitar acidentes domésticos e incêndios na pandemia

Aprenda algumas dicas simples que vão ajudar a manter a residência mais segura.
Publicidade

No último dia 9, um caso revoltante chocou o país por causa da crueldade. Uma jovem de 19 anos acabou sendo assassinada depois de sair de casa para comprar fraldas para sua filha. Ela foi encontrada dois dias depois, já sem vida.

Publicidade
Publicidade

Pouco após o ocorrido, a polícia recebeu imagens de um homem que seguia Aline pouco antes de ela morrer, o qual acreditou-se ser o culpado pelo triste fim. Após análise no corpo da jovem, a perícia encontrou pedaços de pele debaixo das unhas da vítima, que foi o suficiente para encontrar o suposto assassino.

Publicidade

Publicidade

Nesta quarta-feira (02/10), o suposto culpado pela morte de Aline foi detido pela polícia. De acordo com informações coletadas sobre o suspeito, ele se chama Erolnildo, tem filhos, é casado e tem 45 anos de idade. Ele já havia sido preso por crime de abuso, de acordo com as autoridades.

Ao depor sobre o crime, o acusado afirma que não matou Aline e que outra pessoa teria participado de tudo. A polícia diz que não havia motivos para assassinar a jovem e que o homem teria abordado de forma aleatória.

Ainda segundo informações policiais, o homem abusou de Aline antes de matá-la. Ele teria deixado o corpo em um matagal e no dia seguinte voltado para colocar fogo. O suspeito não é réu primário, já que esteve preso em 2012 sob acusação de abuso.

As autoridades de Alumínio, onde Aline morava, continuam investigando o caso para tentar recolher o máximo de informações possível. A história da jovem tem gerado grande repercussão no país inteiro, causando revolta em muitas pessoas.