in

Laudo de Mariana mostra detalhes assustadores da morte da jovem

G1

No último dia 25, o Brasil ficou chocado com um bárbaro crime contra uma universitária. Mariana Bazza foi encontrada morta após desaparecer quando aceitou receber ajuda de um desconhecido na rua para trocar o pneu de seu carro.

O suspeito do crime é Rodrigo Pereira Alves, de 37 anos. Ele já tem passagens pela polícia por vários outros crimes e chegou a confessar o assassinato em depoimento.

Publicidade

A polícia encontrou Mariana em um matagal com marcas de agressões, mas até então não havia sido possível afirmar qual teria sido a causa da morte. Nesta quarta-feira (02/10), saiu o laudo médico da estudante.

De acordo com o documento, Mariana morreu por estrangulamento. O corpo foi achado na região de Cambaratiba, a 55 km de Bariri, onde a jovem morava. O suspeito continua preso e já deu versões diferentes sobre sua participação no crime.

Publicidade

O acusado contou que houve participação de outra pessoa e que não matou Mariana. Ele foi encontrado depois que a vítima enviou para o telefone do namorado uma foto do homem, que havia se oferecido para ajudar com seu problema depois que a moça saiu da academia onde estava com uma amiga.

Mariana foi achada vestida, e a polícia não tem certeza se ela sofreu abuso. Uma faca foi encontrada dentro do carro dela, mas as autoridades afirmam que ela não foi utilizada para matar a estudante, que namorava o tenente da Marinha Jefferson Viana.

Rodriguinho, como o suspeito é chamado pelos mais próximos, está aguardando julgamento. Ele espera a sentença na prisão, e a polícia rejeita sua versão de participação de terceira pessoa no caso.

Publicidade

Leia Também

Caso Aline: suposto assassino é preso; delegado dá novos detalhes que deixa Datena chocado

Estas bebês gêmeas precisam do remédio mais caro do mundo para viver