Tia de Raíssa dá declarações sobre morte e choca: ‘uma pessoa sem coração’

Leia também

Caixão Cov é lançado para sepultar exclusivamente as vítimas do novo coronavírus

É preciso tomar cuidados especiais na hora de sepultar as vitimais fatais da Covid-19.

Hospital se confunde, troca corpos e mulher é enterrada no lugar de homem com coronavírus

Os familiares sofreram duas vezes, sendo uma por causa da morte e outra pela troca dos corpos.

A Fazenda 12: Jojo Todynho e famoso ator já fecharam com a RecordTV para o reality rural

A RecordTV vem estudando uma forma de realizar a 12ª edição de seu reality com segurança.

Em vídeo de animação, Jair Bolsonaro morre após tomar chá de cloroquina dado por Lady Gaga

O vídeo caiu no gosto dos internautas e já foi visto por milhares de pessoas, se tornado um sucesso na web.
Publicidade

Um caso revoltando tem chamado a atenção do Brasil inteiro por causa da crueldade. Uma menina de apenas 9 anos de idade foi encontrada morta em um parque de São Paulo após ir a uma festa escolar.

O suspeito do crime é um garoto de 12 anos, que confessou à polícia como tudo teria acontecido. Revoltada e abalada, a tia de Raíssa, Alessandra Caparelli, deu declarações sobre o caso.

Publicidade
Publicidade

Em entrevista, a parente da vítima revelou: “Era uma criança introvertida com dificuldade de se aproximar, ela chorava em situações desconfortáveis e sob forte estresse. Não era apenas com um doce que alguém conseguiria atraí-la. É preciso descobrir como ela foi parar lá”.

Publicidade

Sobre o assassino da sobrinha, Alessandra disse: “É uma pessoa muito maldosa, que não tem sentimentos, que não tem coração”. A garota estava com sua mãe e o irmão em um centro de educação de São Paulo. Segundo informações, a genitora havia saído por alguns momentos para comprar pipoca e quando voltou já não encontrou a filha.

Publicidade

Raíssa foi achada pendurada em uma árvore no Parque Anhanguera. Ela apresentava marcas de agressão e estava amarrada cm uma fita. As autoridades têm investigado o caso para obter mais detalhes, já que as declarações dadas pelo suposto assassino são divergentes.

A polícia acredita que possa ter havido participação de uma terceira pessoa no crime, já que seria difícil para uma criança conseguir pendurar alguém quase do mesmo peso em uma árvore. O corpo de Raíssa foi sepultado nesta terça-feira (01/10), no Cemitério Municipal de Perus.