in

Jornalista não teria morrido; família garante que ele está vivo, afirma site

Reprodução Meio Norte
Publicidade

O jornalista Egídio Brito tem apenas 32 anos e trabalha na Rede Meio Norte, no Piauí. Querido pelo público piauiense, Egídio teve a morte dada como certa nesta segunda (30). Diversos veículos publicaram a informação de que ele teria sofrido uma morte cerebral, após contrair meningite.

Publicidade

Tanto a informação da morte como a do diagnóstico de meningite bacteriana foram descartadas pela família do repórter. Boletim médico divulgado ontem descartou a possibilidade de meningite, de acordo com o site Cidade Verde.

Publicidade

A família de Egídio não permite a divulgação do boletim pelo hospital. Foram os próprios familiares que informaram ao site Cidade Verde sobre o teor do último boletim médico.

A informação que se tem no momento é que o estado de saúde do jornalista é grave. Ele está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital da Unimed, em Teresina. Novos exames seriam realizados para saber qual o verdadeiro estado de saúde de Egídio.

Publicidade

Confira a atualização

Nesta terça-feira (1º), o hospital vai divulgar um novo boletim para a família do jornalista por volta das 16h. A família pode tornar público ou não o boletim do hospital. Em relação à morte cerebral divulgada pela imprensa, o hospital não se pronunciou oficialmente sobre o caso. A família nega que a morte tenha ocorrido.

Egídio Brito está internado desde sexta-feira, quando passou a sentir fortes dores no corpo e ter crises de vômitos. Encaminhado ao hospital, ficou internado em estado de grave. A doença repentina do jovem jornalista causou comoção na cidade e todos querem saber o seu real estado de saúde.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator do i7 Network.

Caso Mariana: mãe da jovem morta abre o coração, dá primeira entrevista e emociona

A Dona do Pedaço: Chiclete decide matar Camilo, enchendo o policial de balas