in

Em áudio, Vágner Mancini culpa Daniel Alves pela sua demissão do São Paulo; ouça

Rubens Chiri / São Paulo FC
Publicidade

O ex-coordenador de futebol do São Paulo, Vagner Mancini, justificou por meio de um áudio que circula pelas redes sociais os motivos que o levaram a pedir a demissão do tricolor paulista juntamente com a diretoria do clube.

Publicidade

A mensagem foi divulgada pelo portal UOL Esporte, e nela o técnico afirma que Daniel Alves teve participação direta em sua demissão pedindo a contratação de Fernando Diniz. Procurado pela reportagem para esclarecer a situação, ele não foi encontrado.

Publicidade

No áudio, Vagner Mancini revela que pouco tempo após ser efetivado para o cargo, Daniel Alves foi até a alta cúpula do São Paulo, pedindo para que Fernando Diniz fosse contratado. Imediatamente, os diretores do Tricolor Paulista chamaram o treinador para uma conversa, e revelaram que o seu nome não era unanimidade nos bastidores do clube.  

Logo após a coletiva de imprensa que marcou o anúncio da saída de Cuca, durante os treinamentos do São Paulo, a diretoria teria considerado mais adequado o nome de Fernando Diniz, embora Vagner Mancini fosse escalado para comandar o time contra o Flamengo, neste sábado. Depois do treino, os cabeças do elenco do São Paulo foram chamados pela alta cúpula, e o nome do novo treinador foi apresentado.

Publicidade

Os jogadores teriam ficado muito entusiasmados, e diante do feedback positivo, foi informado que uma proposta oficial seria feita para Diniz. Todavia, a permanência de Mancini no comando do elenco no jogo contra o Flamengo não foi descartada. Mesmo assim, sentindo-se menosprezado pelos jogadores do próprio time, Vágner Mancini achou melhor pedir a sua demissão.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Henrique

Henrique Furtado é um redator que gosta de ocupar o seu tempo livre lendo notícias, e noticiando aquilo que acha mais interessante.

A Dona do Pedaço: Chiclete pode acabar com Camilo e fugir com Vivi para ilha tropical

Luciano Huck pode trocar Rede Globo pela presidência, e Rodrigo Faro seria o substituto