in

Janot entrou no STF para matar Gilmar Mendes e depois se suicidar: ‘dar tiro na cara dele’

O Globo / Reprodução
Publicidade

O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot confessou que planejou o assassinato de Gilmar Mendes, Ministro do Supremo Tribunal Federal. O episódio foi revelado nesta quinta-feira, 26 de setembro, em entrevista publicada pela revista Veja. De acordo com Janot, sua revolta contra Gilmar foi tão grande que ele chegou a engatilhar uma arma para matar o Ministro, mas que no final das contas não conseguiu atirar. 

Gilmar Mendes, na época, fez críticas à filha de Rodrigo Janot e o então procurador-geral da República não gostou nada dos comentários. Para Janot, todo mundo tem o seu limite e o dele havia chegado. O jurista confessa que a ira tomou conta de qualquer razão e que o seu plano, após matar o Ministro, era tirar a própria vida. 

De acordo com Janot, o seu ódio era tão grande que não chegou a fazer nem mesmo a famosa carta de despedida. Ele simplesmente entrou armado no Supremo e ficou frente a frente com Gilmar, pronto para matá-lo. Após não conseguir atirar com a mão direita, o então procurador disse que trocou o revólver para a outra mão. 

Publicidade

Janot deixa claro que foi em cima de Mendes pronto para assassiná-lo. “Quando procurei o gatilho, meu dedo indicador ficou paralisado. Eu sou destro. Mudei de mão. Tentei posicionar a pistola na mão esquerda, mas meu dedo paralisou de novo. Nesse momento, eu estava a menos de dois metros dele. Não erro um tiro nessa distância. Pensei: ‘Isso é um sinal’. Acho que ele nem percebeu que esteve perto da morte”,disse Rodrigo Janot na entrevista para lá de bombástica. 

Publicidade

Rodrigo já havia confirmado em um livro o planejamento de morte de uma pessoa, mas no livro em que o fato saiu ele não chegou a dizer o nome de Gilmar Mendes. 

Publicidade
FERNANDO B

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.