in

Procurador de MG, que chamou salário de R$ 24 mil de ‘miserê’, recebe quantia bem maior; e valor impressiona

Reprodução / G1
Publicidade

O estado de Minas Gerais tem enfrentado uma grave crise financeira. Por isso, o governador precisou tomar algumas medidas para tentar balancear os cofres públicos. Uma delas é o parcelamento de salários dos servidores públicos. No entanto, um procurador do estado chamou a atenção do público ao dizer que o salário de R$ 24 mil que recebe seria um “miserê”

A gravação veiculada na mídia aconteceu no mês de agosto. A reunião discutia a proposta do orçamento do MPMG – Ministério Público do Estado de Minas Gerais para o ano de 2020. “Como é que o cara vai viver com R$ 24 mil?”, disse o procurador Leonardo Azeredo.

Publicidade

O procurador-geral do estado, Antônio Tonet, teria informado que, caso Minas Gerais assine o acordo de recuperação fiscal com o governo, a classe vai ficar sem reajuste de salário. Inconformado com a notícia, o procurador mineiro, Leonardo Azeredo, acabou fazendo o desabafo que viralizou. O procurador ainda ressaltou que se padrão de vida havia baixado por causa do salário que vem recebendo.

Ele ainda citou que está economizando e até teria parado de gastar R$ 20 mil na fatura do cartão de crédito e os gastos teriam passado para R$ 8 mil. O procurador frisou que tem precisado viver à base de compridos antidepressivos. No entanto, o “miserê” recebido por Leonardo Azeredo é bem maior do que o informado em seu desabafo.

Publicidade

Através do Portal da Transparência do MP é possível ver que ele recebe uma cifra bem maior do que aquela que ele reivindicou. A média do salário dele é de R$ 60 mil líquidos ao mês. O valor tem incluído alguns benefícios, como indenizações e outras remunerações. A renda bruta dele é de R$ 35.462,22 e, com os descontos, cai para os R$ 24 mil.

Publicidade

Porém, algumas vantagens fizeram o salário do procurador aumentar a sua conta bancária. O mês de junho foi o maior, chegando a cifra de mais de R$ 50 mil, líquidos. O fato é que essas verbas extras não são consideradas para efeito de vencimento.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, mas principalmente sobre o tema maternidade. "Busco levar a vida seguindo o manual do criador, a Bíblia". Contato através do e-mail: shyrlenepsouza@yahoo.com.br

Mulher de Marcelo de Nóbrega dá à luz trigêmeos, e triste notícia abala a família

Vídeo: Josiane implora ajuda da mãe, e Maria da Paz manda a filha vender bolos nas ruas