in

Doença de Anitta é diagnosticada e pausa na carreira é decretada

Divulgação/Anitta
Publicidade

Anitta optou por dar um tempo da televisão. O motivo da pausa em sua carreira no entretenimento se deu por conta da saúde. A artista recebeu um diagnóstico médico de que está com estafa, uma doença que afeta psicologicamente o paciente, retirando-lhe o ânimo para desempenhar as atividades diárias da vida.

Publicidade

Por conta da situação, a próxima edição do seu programa Anitta Entrou no Grupo foi cancelada, conforme divulgado em nota oficial da emissora Multishow, pertencente à rede Globo Sat. Na intenção de tratar o problema, Anitta decretou uma pausa em sua carreira e, sob recomendação médica, ficará um tempo de repouso.

Publicidade

O desenvolvimento da doença foi até mesmo apontado como um dos motivos do término do relacionamento entre a cantora e o surfista Pedro Scooby, após um rápido namoro que durou cerca de três meses. De acordo com informações de pessoas próximas ao casal, Anitta estaria tendo crises constantes que acabavam por refletir no companheiro.

Anitta recebe críticas

A cantora virou alvo de polêmica após a atração Anitta Entrou no Grupo. Parte do público afirmou que o programa estava fazendo um apelo para conteúdos adultos, por conta de algumas atuações da cantora, tais como as revelações íntimas a respeito do cantor Kevinho, bem como a reprodução do som que ela faria na hora do amor.

Publicidade

Em sua defesa, a cantora afirma que esta é a temática que o programa lhe apresentou, não sendo culpada pela sua sinceridade: “Eu fui perguntada! Eu sou verdadeira e respondi a verdade tendo em vista que o público do YouTube já estava entendendo o tipo de pauta e de brincadeiras que eles estavam fazendo por lá“, rebateu.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Henrique

Henrique Furtado é um redator que gosta de ocupar o seu tempo livre lendo notícias, e noticiando aquilo que acha mais interessante.

Luto: carreta atinge igreja durante culto e mata vários fiéis; não sobrou nada

Bolsonaro promete perdão judicial a policiais do ônibus 174 e do massacre do Carandiru