in

Delegada abre o jogo sobre morte do pastor Anderson e sobra até para Flordelis

Reprodução Record TV

A morte do pastor evangélico Anderson do Carmo continua sem resolução. A polícia investiga o caso e a participação da deputada estadual Flordelis, esposa de Anderson, não está descartada.

Na manhã desta quinta-feira (15), a delgada Bárbara Lomba, da Delegacia de Homicídio de Niterói, falou sobre o caso. Segundo ela, o crime foi cometido em um ambiente familiar. Para a delegada, também deve haver outros envolvidos, além de Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas Cezar dos Santos de Souza, que foram indiciados pela morte de Anderson.

Flávio e Lucas foram indiciados pela morte de Anderson e a prisão preventiva de ambos foi solicitada. Arma encontrada no quarto de Flavio, avaliada entre R$ 8 mil e R$ 9 mil, de acordo com a delegada, foram bases para a indiciamento. O revólver tinha um pelo do rapaz.

Segundo Bárbara, há uma motivação final para o assassinato do pastor. “O contexto todo da família está sendo investigado. E a deputada faz parte da família”, comentou a delegada. De acordo com a profissional de polícia, a principal motivação para o crime teria sido financeira.

“De uma forma geral, o que há nesta altura da investigação é que a motivação seria por razões financeiras, de administração de bens”, explicou ela, citando que essa é uma das linhas de investigação do caso.

Bárbara afirmou ainda que há implicações legais em dizer que Flordelis, que é parlamentar, esteja sendo investigada. A delegada, porém, não descartou a participação de Flordelis no crime.

Após término da primeira fase da investigação, começa a segunda fase para esclarecer por completo o assassinato de Anderson do Carmo.

Leia Também

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator do i7 Network.

Mara Maravilha revela ao vivo se é amante do marido de Alinne Barros

Bolsonaro detona Alexandre Frota após expulsão do PSL