in

5 doenças mortais que podem voltar devido ao aquecimento global atual

Patria Latina
Publicidade

É de conhecimento de grande parte da população que nosso planeta vive uma realidade preocupante, com a contribuição do desmatamento e a ganância do homem.

Publicidade

Atualmente, devido a alta exposição de gases na atmosfera, na maioria das vezes expelidos por indústrias, o aquecimento global vem alterando drasticamente o clima.

Publicidade

Além de desastres climáticos, como o derretimento das geleiras situadas nos pólos do Planeta Terra, a matéria do site Fatos Desconhecidos traz 7 doenças mortais que poderão vir novamente à tona:

1- Antraz

A doença é dificilmente desenvolvida em humanos, sendo mais comuns em animais, com destaque para os cavalos, cabritos e carneiros. Após a morte dos animais, os esporos da doença podem sobreviver a até 100 anos. É transmitida através do Bacillus anthracis, e seus sintomas são semelhantes ao de uma gripe ou resfriado, além das infecções na pele.

Publicidade

2- Peste bubônica

A peste bubônica, mais conhecida como peste negra, foi a responsável por uma terrível pandemia no período de 1343 a 1453, causando de uma estimativa de 75 a 200 milhões de mortes, na época. É causada pela bactéria Yersinia pestis, transmitida através de pulgas em animais roedores, principalmente o rato.

3- Varíola

A varíola é uma doença com alta taxa de mortalidade. É causa por um vírus, e em média, 30% das vezes ocasiona a morte. A infecção nativa acredita-se que foi erradicada, o principal temor agora é a utilização da doença nas armas biológicas.

4- Lepra e Tuberculose

A lepra e a tuberculose foram doenças que no passado tinham uma alta taxa de incidência, se tornando comum entre a população. As doenças supracitadas continuam sendo uma ameaça nos dias atuais. Há relatos de que os vírus permaneceram vivos em carcaças de animais de 17 mil anos.

5- Botulismo

O botulismo não é uma doença muito comum. Com sua alta taxa de mortalidade, chegando a aproximadamente 50%, a doença não é contagiosa e é passada pela toxina de uma bactéria Clostridium botulinum.

Deve-se ter um cuidado a mais com o nosso planeta, controlando emissão de gases, se atentando ao aquecimento global e prezando pelo bem estar da população em um futuro não muito distante.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Rafael

Rafael Lessa é um escritor que gosta de estar sempre informado sobre o que acontece no Brasil e no mundo. Nas horas vagas, gosta de redigir matérias jornalísticas, levando entretenimento e cultura para seus leitores.

Jornalista Gustavo Henrique coloca o Flamengo como possível destino de Neymar

Mulher guarda corpo de criança no freezer por mais de 40 anos e deixa população em choque