in

Confira: exame de dois cérebros infantis mostram o impacto que o amor dos pais pode causar

Texas Children's Hospital

Ao compararem tomografias cerebrais de duas crianças de três anos, foram reveladas novas evidências da significativa influência que o amor dos pais tem no desenvolvimento do cérebro de seus filhos..

O cérebro que está localizado do lado esquerdo da imagem abaixo, que pertence a uma criança normal de três anos, além de ser notavelmente maior, contém menos manchas e menos áreas escuras do que o cérebro localizado no lado direito, que pertence a uma outra criança de três anos que sofreu com a falta de cuidados dos pais.

Publicidade

Segundo os neurologistas, as imagens mais modernas comprovam ainda mais que a forma que as crianças são cuidadas nos primeiros anos de vida é importante tanto para o desenvolvimento emocional, quanto para determinar o tamanho dos cérebros das crianças.

Alguns especialistas sobre o assunto alegam que a notável diferença nos dois cérebros infantis é causado, em especial, pela diferença no modo que cada criança foi tratada por seus pais.

Publicidade

De acordo com o The Sunday Telegraph, apesar das imagens parecerem indicar que o cérebro infantil localizado ao lado direito poderia ter sofrido dano consequente de algum acidente grave ou sofrido com alguma doença, os neurologistas afirmaram que na verdade a criança escolhida tem histórico de ter sido negligenciada e ter sofrido abuso pela própria mãe, enquanto a criança que tem o cérebro nitidamente maior e melhor desenvolvido foi criada em um lar com amor e apoio.

Em entrevista, pesquisadores disseram ao jornal do Reino Unido que o cérebro à direita da imagem indica que a criança não possui algumas áreas cerebrais importantes que são mostradas no cérebro que está à esquerda da imagem. Com isto, afirmaram que a criança que possui o cérebro maior, provavelmente será mais inteligente e desenvolverá a capacidade de identificação social de forma mais fácil que a criança com o cérebro menor. Por outro lado, os pesquisadores alegaram que é possível que a criança com o cérebro menor no futuro tenha mais probabilidade de se tornar uma pessoa que sofra com vício em drogas, se envolva com crimes violentos e fique desempregada ao ponto de precisar depender de benefícios cedidos pelo governo. Além disto, eles também acreditam que ela tem uma grande probabilidade de desenvolver problemas mentais e outros problemas de saúde. 

Allan Schore, que é professor da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, disse que os primeiros dois anos, o forte vínculo as mães é extremamente importante para o desenvolvimento saudável do cérebro do bebê. Ele também afirmou que, por conta de 80% das células cerebrais crescerem nos primeiros dois anos de vida, os problemas durante essa fase de desenvolvimento podem ser prejudiciais às pessoas pelo resto da vida. 

Pesquisas apontam que quanto mais grave for a negligência da mãe, maior pode ser o dano cerebral, pois o processo de negligência na infância é um tipo de ciclo vicioso, porque os pais de crianças negligenciadas provavelmente também foram negligenciados por seus pais e por isso eles também não têm o cérebro totalmente desenvolvido. Porém, pesquisas mais antigas mostraram que este ciclo vicioso pode ser cortados se nestes casos ocorrer uma intervenção precoce, fazendo com que as famílias recebam o apoio necessário.

O estudo mais atual apoia pesquisas que apontaram que crianças educadas por mães que dão amor e carinho desde cedo em suas vidas geralmente são mais inteligentes e têm uma capacidade mais elevada de aprender.

Publicidade

Leia Também

Clima tenso: Cuca dá declaração forte e diretor do clube rebate

Saulo Poncio posta 1ª foto com bebê depois de descobrir que ela é filha de seu cunhado