in

Entregador de aplicativo morre sem receber ajuda e causa comoção

Arquivo Pessoal Thiago Reis
Publicidade

Um entregador do aplicativo Rappi morreu na segunda-feira (8). Thiago de Jesus Reis tinha 33 anos e passou mal no sábado (6), enquanto fazia uma entrega. Ele foi socorrido por amigos, encaminhado ao Hospital das Clínicas, mas acabou morrendo.

O caso repercutiu nas redes sociais depois de ser amplamente divulgado. Thiago sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) enquanto fazia uma entrega no bairro de Perdizes, zona oeste de São Paulo..

Thiago foi entregar pizza no apartamento da advogada Ana Luísa Pinto. Quando chegou para a entrega, o rapaz reclamou de fortes dores de cabeça, vomitava e estava com a pressão baixa.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Ana Luísa tentou socorrê-lo de três maneiras. Primeiro, usou o celular dele para ligar para o Rappi. A empresa, por meio de uma atendente, respondeu de maneira insensível, pedindo que ela liberasse o pedido para que os próximos clientes fossem avisados sobre o atraso em suas entregas.

O Samu também foi chamado, mas não apareceu para socorrê-lo. Por fim, ela chamou um Uber, mas o motorista se recusou a levar Thiago, que estava urinado, ao hospital. Amigos do rapaz o socorreram, aproximadamente duas horas depois de ele ter começado a passar mal.

O caso causou comoção nas redes sociais e muitos internautas aproveitaram a situação para criticar a precarização do trabalho com o advento dos serviços por aplicativo, como Uber, Rappi, 99 etc. 

Nos últimos anos, com o aumento do desemprego formal, muitos trabalhadores utilizam os aplicativos para complementar a renda ou como única renda.

Publicidade
Publicidade
Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!