in

Reviravolta no caso Neymar: Ministério Público aceita pedido e Najila é beneficiada; confira

UOL Esporte / Nelson Almeida

Nesta quarta-feira (10), a Polícia Civil solicitou ao Ministério Público a prorrogação do prazo referente à investigação do arrombamento que teria ocorrido no apartamento em que Najila residia, localizado em São Paulo. Nesse sentido, torna-se válido ressaltar a importância desse caso, tendo em vista que foi supostamente responsável por gerar a perda de um tablet que, segundo a modelo, continha provas concretas do suposto estupro praticado por Neymar.

Sob a ótica do pedido feito, destaca-se que, inicialmente, os investigadores da Polícia Civil possuem um prazo inicial de 30 dias para chegarem a uma conclusão sobre o caso, o que não aconteceu, motivando assim o pedido ao MP, visando uma prorrogação desse período para que se conclua de fato o inquérito policial. 

Publicidade

Elucidado o caso e o pedido relacionado a ele, nesse momento, volta-se o olhar para a decisão tomada pelo MP. A Promotoria de Combate à Violência Doméstica acatou a solicitação da Polícia Civil, tendo as duas promotoras responsáveis pelo caso manifestado a favor da prorrogação das investigações da acusação de estupro feita contra o jogador, englobando também o caso do sumiço do tablet. 

Tomada essa decisão, o inquérito seguirá para a Justiça, sendo o veredito do caso proferido pela autoridade responsável. Além disso, necessário destacar uma imposição legal relacionada ao MP que, posteriormente à decisão favorável pela prorrogação, deve emitir um parecer com o intuito de auxiliar a palavra final da juíza convocada para o litígio.

Publicidade

Já no tocante à gênese do suposto estupro, informa-se que as investigações tiveram início no dia 31 de maio, quando Najila registrou um boletim de ocorrência alegando ter sido constrangida sexualmente, mediante violência, por Neymar. Por fim, importante destacar que a Justiça não possui um prazo limite para aceitar ou negar a prorrogação da investigação, tendendo a decisão ser compatível com a tomada pelo MP, isto é, da aceitação do acréscimo de tempo, o que converge com as pretensões de Najila, beneficiando-a, tendo em vista que a modelo já havia solicitado um maior prazo para apresentação de provas.

Publicidade

Leia Também

Veja o caso da mulher que deu à luz em vaso sanitário após diagnóstico de prisão de ventre

Quem se lembra da Feiticeira? Aos 43 anos ela continua linda