in

‘Fora Bolsonaro’ e ‘Lula livre’: Velório de Paulo Henrique Amorim vira ato político

Reprodução TV UOL

O velório do jornalista Paulo Henrique Amorim, que aconteceu na Associação Brasileira de Imprensa, no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (11), tornou-se um ato político e os nomes do presidente Jair Bolsonaro e do ex-presidente Lula estiveram presente. O velório foi encerrado às 15h e o corpo foi encaminhado ao Cemitério da Penitência, no Caju, para ser sepultado.

O público que compareceu na despedida ao jornalista encerrou o velório cantando o hino nacional. Logo depois, gritos de “Fora, Bolsonaro” e “Lula livre” foram entoados pelas pessoas presentes.

Publicidade

O jornalista morreu na madrugada de quarta-feira, após sofrer um infarto fulminante em seu apartamento no Rio de Janeiro. Quando o socorro chegou ele já havia falecido.

Paulo Henrique Amorim era um ferrenho crítico do presidente Bolsonaro e também do ministro da Justiça, Sergio Moro. Em seu canal no YouTube, o Conversa Afiada, havia diversos criticando Moro e a operação Lava Jato.

Publicidade

Paralelo a isso, o jornalista era apoiador do ex-presidente Lula, que está preso na sede da Polícia Federal, em Curitiba, cumprindo pena pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Amorim trabalhava na Record, cujo dono, Edir Macedo, é apoiador de Bolsonaro. Uma suposta pressão do presidente teria feito a emissora afastar o jornalista do comando do Domingo Espetacular. Ele apresentava o jornalístico desde a estreia, em 2005.

Amorim passou por diversas emissoras, como Globo, Cultura e Band. Ele chegou à Record TV em 2003 para apresentar o Jornal da Record 2ª Edição. Foi criado do Tudo a Ver e depois foi encaminhado ao Domingo Espetacular.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator do i7 Network.

Tite sofre duro castigo dias após ter ignorado Bolsonaro em comemoração

Saiba porque corpo de Paulo Henrique Amorim não será mais cremado