in

Político ‘comemora’ morte de Paulo Henrique Amorim e insinua que ele foi pro inferno: ‘Morre um canalha’

Foto/Reprodução: Record TV
Publicidade

Nesta quarta-feira, 10 de julho, a morte do jornalista Paulo Henrique Amorim acabou chocando muita gente, enquanto outras pessoas comemoram nas redes sociais. O jornalista tinha 76 anos e, segundo informações do R7, teria falecido devido a um infarto fulminante no coração. A esposa do apresentador, que estava afastado das suas funções na Record TV, confirmou as informações.

Paulo Henrique Amorim morreu, mas é atacado até  por político

O político Xico Graziano, que já foi líder do PSDB, foi uma das pessoas que, infelizmente, comemorou a morte de Paulo Henrique Amorim. Ele disse, entre outras coisas, que havia morrido um canalha. 

Em outro momento, ele chega a insinuar que o jornalista teria ido ao inferno. Nas redes sociais, alguns eleitores de Bolsonaro, lembrando as polêmicas com o apresentador, também chegaram a comemorar a morte do jornalista.

Publicidade

Paulo, segundo veículos de comunicação que cobrem os bastidores da TV, teria sido afastado do Domingo Espetacular, justamente, por tecer constantes críticas ao presidente, em um momento em que a emissora mostrava grande apoio a Bolsonaro.

Publicidade
Publicidade

Houve quem disse que Paulo morre tarde. Outros disseram que o profissional estaria no “colo do capeta”. Lembramos que isso, além de desrespeito com os familiares do profissional, pode até render processos. A morte de Paulo Henrique Amorim foi noticiada até na Globo, durante o Bom Dia Brasil. No passado, o apresentador trabalhou no canal como correspondente internacional. 

Algumas pessoas criticaram a forma como a morte do jornalista foi comemorada. “Bolsominions comemorando a morte do Paulo Henrique amorim e depois vem bancar os santos”, disse um dos internautas.

Publicidade

Inscreva-se em nosso canal no YouTube e fique por dentro de tudo o que acontece. CLIQUE AQUI

Publicidade
FERNANDO B

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.