in

Bastidores do Bi Mundial do Corinthians de 2012; relembre

Reprodução: Meu Timão
Publicidade

O Corinthians se credenciou a jogar o Mundial de Clubes da FIFA em 2012 depois de vencer a Copa Libertadores da América daquele ano, diante do Boca Juniors.

No jogo de ida, 1 a 1 na Argentina com gol do amuleto Romarinho. No jogo da volta, show de Emerson Sheik no Pacaembu fazendo os dois gols do título, 2 a 0.

Com apitos, bandeiras e fogos de artifícios, a torcida do Corinthians fez a festa no embarque da delegação para o Japão no Aeroporto de Guarulhos, São Paulo. Com o apoio de milhares de torcedores, jogadores e comissão técnica sentiram uma injeção ânimo para os desafios que enfrentariam.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

A equipe viajou para Dubai antes de ir para o Japão. No voo de Dubai para o Japão, um pequeno susto na delegação alvinegra. Uma das portas do avião teve uma pequena abertura e levou um receio a alguns jogadores, foi necessário que alguns atletas trocassem de lugar. 

A lesão de Guerrero

Na viagem ao Japão, O Corinthians tinha uma grande dúvida: Paolo Guerrero. O peruano sofreu uma contusão no joelho na última rodada do campeonato brasileiro e virou dúvida para a equipe que disputaria o Mundial. A lesão de Guerrero, segundo os médicos do clube, tinha sido grave e o jogador corria o risco de nem entrar em campo no Japão. O estiramento de três milímetros no joelho esquerdo levaria umas três semanas para deixar o jogador apto a atuar novamente. Para agilizar a recuperação, Guerrero submeteu-se a infiltrações no joelho e uma força de vontade incrível, disseram os médicos. Além disso, o atacante revelou que rezou bastante para se recuperar logo e conseguir estar em campo pelo Timão.

Emerson Sheik apegou-se a superstição para trazer o título para o Parque São Jorge, o atleta levou consigo para Tóquio seu ursinho de pelúcia e a chuteira que usou na final da Libertadores.

A caminhada para o título

A caminhada para o título começou no dia 12 de dezembro, na semifinal. O adversário era o Al-Ahly, do Egito, e todos os esforços para a pronta recuperação de Guerrero surtiram efeito, foi dele o gol da vitória por 1 a 0 e que garantiu a equipe na final do Mundial. No dia seguinte a vitória, alguns jogadores decidiram passear e acabaram se surpreendendo com um terremoto que estremeceu a cidade local. Outro fato curioso foi que nos treinos do Corinthians, a FIFA disponibilizou coletes verdes para o time brasileiro treinar, como a cor representa o maior rival, Edu Gaspar, então dirigente alvinegro, solicitou a troca e o pedido foi aceito. O Timão treinou com colete roxo e usou colete bege nos jogos para os atletas suplentes.

No jogo da final, contra o Chelsea, o Timão entrou em campo sabendo que precisaria fazer um jogo perfeito para sair de lá com o título. O confronto que levou 58 mil pessoas ao estádio, a esmagadora maioria corintiana, viu Cássio fazer defesas incríveis e Paolo Guerrero decidir mais uma vez, 1 a 0 Corinthians no time de Londres e o Japão se tornava preto e branco com um bando de loucos.

Na chegada ao Brasil, a torcida do Timão foi receber os vencedores no aeroporto e a festa agora estava completa. O Corinthians sagrava-se Bicampeão Mundial!

Publicidade
Publicidade
Fernando Goulart

Escrito por Fernando Goulart

Sou estudante de Direito e um apaixonado por escrever.