in

Tite e Marquinhos ‘ignoram’ Bolsonaro durante premiação da Copa América; confira

Publicidade

Na noite deste domingo (07), passados os 90 minutos da partida entre Brasil e Peru, a seleção brasileira sagrou-se campeã da Copa América, vencendo o time adversário pelo placar de 3×1. Importante destacar que, por se tratar da final de um campeonato realizado em território brasileiro, o evento contou com a presença de autoridades ilustres, como o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Justiça Sérgio Moro.

Publicidade

Sob a ótica da cerimônia de premiação do time campeão, ressalta-se que o presidente compunha a parcela de membros que estava realizando cumprimentos aos jogadores e participando da entrega de medalhas. Nesse sentido, dois fatos envolvendo membros da seleção brasileira chamaram a atenção.

Publicidade

Primeiro, volta-se o olhar para as atitudes do técnico do Brasil, Tite, e do zagueiro Marquinhos. Ambos não seguiram à risca as regras da solenidade relacionadas à saudação ao presidente do país e, em certo momento, ignoraram a presença de Bolsonaro no local e prosseguiram para os cumprimentos aos outros indivíduos presentes.

Tite quer se concentrar no futebol

Dessa forma, não se pode deixar de mencionar a opinião de Tite sobre a desvinculação entre futebol e política, tendo em vista que o treinador já se manifestou sobre esse tipo de assunto em 2018: “Não. Continuo com a mesma opinião. Não. A minha atividade não mistura. Eu não me sinto confortável em fazer essa mistura (futebol e política)”.

Publicidade

Após o jogo, ao final da entrevista coletiva, Tite foi indagado se teria ficado constrangido em receber a medalha pelo presidente. O treinador, mais uma vez, ratificou seu posicionamento relacionado a um distanciamento entre futebol e política, e disse: “Não quero falar disso. É futebol. Por favor, vamos falar de futebol”.

Marquinhos explica momento polêmico com Bolsonaro

Em entrevista ao Globo Esporte, o zagueiro Marquinhos negou que tenha ignorado o presidente da República durante a cerimônia de premiação da Copa América. “Pelo amor de Deus, não. Eu fui, cumprimentei, voltei para pegar a medalha com a pessoa que estava antes dele. Não teve problema nenhum”, disse Marquinhos.

Diante da repercussão nas redes sociais, com a imagem do momento, o defensor fez questão de esclarecer que não foi um ato intencional e que não vê o menor problema de Bolsonaro participar de cerimônias esportivas no gramado.

Publicidade

Leia Também

Grey’s Anatomy: atriz dá detalhes sobre o fim da série e manda recado aos fãs

Ex-lutadora de MMA relata agressão de marido e aparece desfigurada