in

Delegado diz que a vítima estava respirando quando teve o coração arrancado pelo sobrinho

Divulgação G1
Publicidade

Um crime bárbaro foi registrado na noite desta terça-feira (2), na Rua Rio Negro, no Bairro Vila Bela, na cidade de Sorriso, cerca de 400 quilômetros de Cuiabá, capital do Mato Grosso (MT). Na ocasião, um homem identificado como Lumar Lopes, de 28 anos, matou a própria tia. Como se não bastasse a tamanha crueldade com a vítima, o suspeito ainda arrancou o coração da tia e levou para sua filha que, também reside na mesma cidade.

De acordo com a imprensa local, a vítima foi identificada como Zélia da Silva, de 55 anos, que foi assassinada a golpes de faca pelo sobrinho, que vinha da cidade de São Paulo. As primeiras investigações feitas pelas autoridades locais apontaram que o crime aconteceu após a vítima descobrir que o acusado era usuário de drogas.

Conforme relatos da família da vítima, após a tia saber que Lumar era usuário de drogas, ela não queria que ele ficasse mais em sua residência e pediu para o mesmo arrumar um lugar para ele morar.  

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Diante dos fatos, um filho da vítima arrumou uma quitinete para o primo morar por um tempo. Lumar não questionou em deixar o local e foi para a quitinete alugada, mas na mesma noite, ele voltou na casa da tia e a matou usando uma faca. Em seguida, arrancou o coração da tia e levou para uma filha dela. 

A filha da vítima, identifica como Patrícia Cosmos, relatou que o primo estava muito alterado, em seguida, roubou seu carro e tomou rumo ignorado. O delegado Nilson Carlos Dalberto relatou que a vítima estava respirando quando teve o coração arrancado pelo sobrinho.  

Ela apresenta espuma na boca, o que muito provavelmente indica que, durante a abertura do tórax, essa vítima ainda estava respirando. Não é possível afirmar se estava consciente ou não. É um fato completamente fora do comum, muito diferente do que a gente está acostumado a ver”, disse o delegado.

O suspeito foi preso na delegacia de Sorriso, e está à disposição da Justiça para que todas as medidas necessárias dentro da lei sejam tomadas. 

Publicidade
Publicidade
Francisco Nunes

Escrito por Francisco Nunes

Barbeiro profissional.