in

Calças muito justas e depilação podem causar doença séria pouco conhecida das mulheres

Divulgação/pioneiro
Publicidade

Existe uma grande preocupação mundial com o avanço de várias doenças, entre elas a Aids e o câncer. No Brasil, é realizada uma campanha especifica sobre um dos tumores malignos que mais tira a vida das mulheres, o câncer de mama. Todo mês de outubro é voltado com campanhas que abordam o assunto.

As propagandas detalham os sintomas, sendo o principal o surgimento de algum nódulo nos seios. Por esse motivo, a prevenção é sempre indicada. Porém, algumas outras doenças que afetam as mulheres costumam ser mais difíceis de detectar.

A Universidade Boston, nos Estados Unidos, realizou um estudo e conseguiu identificar um aumento considerável nos casos de vulvodínia. O problema de saúde é pouco conhecido pelas próprias mulheres, mas segundo a pesquisa a condição afeta uma em cada seis delas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

O problema provoca dor nos nervos da região íntima que se torna crônica. A condição não é fácil de ser tratada e pode ter agravamento devido a um hábito muito comum das mulheres, que é o uso de calças jeans muito justas ou até mesmo a depilação na região.

Os pesquisadores fizeram o acompanhamento em 434 mulheres, com idades entre 18 e 40 anos. As voluntárias que participaram sofriam com dores na região da vulva. A pesquisa concluiu que remover o pelo da região íntima totalmente aumenta em 74% as chances de se desenvolver a doença.

Mulheres que usam calças muito justas o risco acaba se duplicando. A vulvodínia é uma condição complicada de ser tratada devido à dificuldade do diagnóstico. Os sintomas do problema podem variar de ardências a contrações. O correto é sempre procurar a ajuda de um profissional caso sinta desconforto ou dores na região íntima.

Publicidade
Publicidade