in

Morte de craque da seleção brasileira tem reviravolta e polícia investiga homicídio

Fiba Basquete
Publicidade

No sábado (29), os fãs de basquete ficaram abalados com a notícia da morte trágica de Michael Uchendu, o Maikão, ex-jogador do Bauru Basket. Ele tinha apenas 21 anos e morreu depois de cair nas águas da represa de Nazaré Paulista, interior de São Paulo, enquanto andava de moto aquática.

O corpo de Maikão foi enterrado no domingo, no Cemitério Nova Cachoeirinha, zona norte de São Paulo, de acordo com informações divulgadas pelo Basket Bauru. Centenas de pessoas foram se despedir da jóia do basquete brasileiro.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) informou que ele morreu afogado após cair da garupa de uma moto aquática. O veículo era guiado por um estudante de 27 anos, cuja identidade não foi revelada.

Publicidade

A moto aquática foi usada sem autorização dos responsáveis. Michael pediu para ir na garupa. Segundo o condutor, o veículo teria desligado sozinho. Com isso, os dois caíram na água. O estudante conseguiu retornar, mas Maikão se afogou. Não foi possível resgatá-lo.

Publicidade

O caso foi registrado como homicídio culposo (quando não há a intenção de matar), em uma delegacia de Atibaia. O amigo de Maikão que pilotava a moto aquática pagou fiança e foi liberado pela polícia.

A polícia investiga o caso para saber todos os detalhes do ocorrido. Maikão jogava fora do Brasil e já havia até participado de draft (peneira para novos jogadores) na NBA. Ele era apontado como um dos grandes nomes do basquete brasileiro para o futuro. A carreira e vida, porém, foram interrompidas com apenas 21 anos.

Publicidade

Inscreva-se em nosso canal no YouTube e fique por dentro de tudo o que acontece. CLIQUE AQUI

Publicidade
Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br