in

Bolsonaro ganha forte apoio ao falar sobre prisão perpétua para assassinas de Rhuan

Reprodução: Arquivo pessoal / G1 / Planalto
Publicidade

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) se manifestou sobre a morte de Rhuan Maycon, de nove anos, assassinado à sangue grio por sua mãe e a companheira dela, no dia 31 de maio, em Samambaia, no Distrito Federal.

Em sua postagem no Twitter, feita na tarde desta terça-feira (18), Bolsonaro lamentou o fato de não haver prisão perpétua no Brasil e recebeu apoio de seus seguidores.

“O chocante caso do menino Ruan, que teve seu órgão genital decepado e foi esquartejado pela própria mãe e sua parceira, é um dos muitos crimes cruéis que ocorrem no Brasil e que nos faz pensar que infelizmente nossa constituição não permite prisão perpétua”, escreveu o presidente.

Publicidade

Cerca de um ano antes de ser morto, Rhuan teve o órgão genital arrancado em uma “cirurgia” feita por sua própria mãe. O menino era impedido de ir à escola e não podia ter amizade com colegas da mesma idade.

Publicidade

O assassinato de Rhuan teve requintes de crueldade e já é apontado como um dos crimes mais bárbaros ocorrido no Brasil nos últimos anos. As penas duas assassinas podem chegar a 57 anos de prisão. Mas de acordo com o Código Penal Brasileiro, a pena máxima a ser cumprida é de 30 anos.

Bolsonaro foi elogiado pelo posicionamento. O deputado federal Sargento Fahur, do Paraná, comentou. “Depois que falo em pena de morte para bandidos de alta periculosidade, tem uns frescos que me condenam”, escreveu.

“Quase não se fala do caso do Ruan nas mídias tradicionais, contudo, após o presidente pronunciar a palavra ‘prisão perpétua’ esquecerão da dor de uma criança pela cruel tortura para polemizar a fala do presidente”, escreveu outro internauta.

Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br