in

Lula livre? Ex-presidente vira réu mais uma vez; são sete processos e duas condenações

Reprodução / TV Globo
Publicidade

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso na sede da Polícia Federal, em Curitiba, desde abril do ano passado. Lula foi condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá.

Publicidade

Nesta quarta-feira (5), Lula tornou-se réu no sétimo processo. O ex-presidente e os ex-ministros, Paulo Bernardo e Antônio Palocci, e Marcelo Odebrecht são suspeitos de terem recebido propina da construtora Odebretch em troca de favores políticos.

Publicidade

A denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal foi aceita pelo juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília.

De acordo com a acusação do MP, a empreiteira teria prometido a Lula, em 2010, R$ 64 milhões em troca de ser favorecida em decisões do governo. Lula foi presidente entre 2003 e 2010 e continuou com certa influência após a vitória de sua sucessora, Dilma Roussef.

Publicidade

Além dos sete processos e da condenação em segunda instância que o mantém preso, Lula também foi condenado em primeira instância no caso do sítio de Atibaia. Os crimes também são lavagem de dinheiro e corrupção passiva. A defesa do ex-presidente recorreu e ele será julgado em segunda instância.

A expectativa da defesa de Lula é que o ex-presidente saia em regime semiaberto em agosto. O problema, por outro lado, é que novas condenações podem acontecer a qualquer momento.

Foi por causa da condenação em segunda instância que Lula foi impedido de disputar as eleições presidenciais de 2018, baseado na Lei da Ficha Limpa. O candidato petista foi Fernando Haddad, que acabou derrotado por Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator do i7 Network.

Filho de 3 anos de cantor morre em trágico acidente: ‘estamos de coração partido’

‘Lei Neymar da Penha’: deputado já protocolou projeto e causa polêmica