População de Itabira irá se preparar para o caso da barragem da Vale vier a se romper

Leia também

Urgente: avião com 107 pessoas cai em cima de casas; equipes fazem socorro

Informações iniciais indicam que ele transportava 99 passageiros e 8 tripulantes; não há informações sobre mortos e feridos.

Maisa chega aos 18 anos e comemora fazendo o que mais tinha vontade: ‘Que delícia’

Apresentadora e atriz do SBT comemora a maioridade nesta sexta-feira (22).

Lima Duarte solta o verbo contra Regina Duarte e seu apoio a Bolsonaro: ‘Dançou’

Lima Duarte comentou sobre a demissão de Regina Duarte do cargo na Secretaria de Cultura no governo de Jair Bolsonaro.

Moro dá entrevista bombástica sobre Bolsonaro e joga tudo no ventilador; sem qualquer piedade

O ex-ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) concedeu entrevista à revista americana Time e surpreendeu.
Russel
Sempre ligado a tudo que acontece no Brasil e no mundo, estou sempre trazendo as últimas notícias sobre o mundo dos famosos, reality shows, filmes, músicas, novelas e programas de televisão de um modo geral. Aqui você ficará sempre muito bem informado. Se quiser entrar em contato, fique à vontade: russelmy@yahoo.com.br
Publicidade

A Vale prepara o maior simulado já realizado no país, pois mais de 12 mil pessoas em Itabira, Minas Gerais, deverão participar da preparação para a tragédia, pois todos devem saber o que fazer caso haja o rompimento de uma outra barragem da mineradora.

A simulação deverá acontecer no mês de junho, segundo informou o coordenador-adjunto da Cedec – Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, o tenente-coronel Flávio Godinho. Itabira tem 15 barragens registradas na Agência Nacional de Mineração e todas elas pertencem à Vale.

Publicidade
Publicidade

Cinco destas barragens ficam próximas a centros urbanos e Itabira abriga uma das maiores do país, são mais de 400 milhões de metros cúbicos de rejeitos, ou seja, mais de 33 vezes maior do que a barragem que causou a tragédia em Brumadinho.

Publicidade

Esse será o maior simulado já realizado no Brasil, uma vez que é grande o número de pessoas que se encontram em locais de perigo. A princípio, esta simulação seria realizada no dia 29 de junho, mas acabou sendo adiada para 6 de julho.

Publicidade

Enquanto isso, a população fica em pânico e muitos acreditam que é tempo demais para esperar até a realização do simulado, já que a população não tem ideia do que fazer e nem para onde ir, caso a barragem venha a se romper. Enquanto a simulação não acontece, moradores das áreas de risco em Itabira vão convivendo com o medo e a incerteza.

Em Barão de Cocais, a população já realizou o simulado, mas segue agonizando, com a incerteza de quando a barragem poderá romper. O talude continua se movimentando diariamente e ninguém sabe ao certo quando irá se soltar.